Pular para o conteúdo principal

Translate this Page

Síria: "Greve não: Paralisação Geral da Vida no país". Situação dramática.


"Morrer pela liberdade é muito melhor do que viver morto sob regime Al-Assad na Síria". Estas são as palavras que brotam dos lábios do povo sírio. Seus corações feridos, tendo seu orgulho jogado ao chão, por seu presidente, agora pensa numa forma terrível de se vingar. A "Greve Geral" deveria ser chamada de "Parada Total":

"Greve não: Paralisação Geral da Vida na Síria"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 14 de Dezembro de 2011 - 11h51min.
Atualização: 13h55min.

Vamos ser honestos? A situação humanitária na Síria nem pode ser chamada de humanitária. O nível é desumano. Alguém se importa se Al-Assad não permite que façam compras de alimentos, que não comprem remédios, nem hospitais, que não possuam carros, bicicletas ou motos para qualquer locomoção, em muitas regiões sitiadas, ou mesmo que possam sair de suas casas para visitar um parente em outra parte do mesmo bairro sem ser sequestrado, morto, preso e torturado.

Não é novidade que eles vivem sem energia elétrica, água potável, gás de cozinha, óleo diesel, combustível para seus veículos ou para gerar qualquer tipo de energia ou calor, a fim de sobreviver ao inverno. Se fosse só isto seria uma "vitória", mas ainda chuva de fogo antiaéreo, bombardeios nos sentidos verticais e horizontais, explosões de bombas caseiras em áreas residenciais, invasão de casas 3 vezes por dia, que resultam em estupros, prisões aleatórias, apropriação indevida de bens, objetos de valor, surra e humilhações.

No lado de fora, o toque de recolher de 21 horas de duração, mais prisões, conferência de identidades à cada esquina, snipers atirando em pedestres, tanques metralhando tudo aleatóriamente, e mesquitas sitiadas. Para onde ir? O que fazer?

Acordar cedo para ir trabalhar, quando se é possível... Então porque continuar dando suporte para o governo continuar matando? A solução encontrada pelo povo da Síria é literalmente suicida. Como diz a "lei de Murph: Nada é tão ruim que não possa piorar".

Unidos pela vida e pela morte, o prenúncio da nova guerra contra o sistema.
Então o povo decidiu parar o país. Parar de comprar, o pouco que lhe é permitido, parar de estocar, parar de construir, parar de trabalhar e estudar, parar de usar telefones, assistir TV, ouvir rádio, parar de abastecer, parar de fazer literalmente tudo! Como uma coletividade consegue viver assim?

Cercado de sanções, o país ainda consegue se manter e aos poucos vai criando meios de sustentação e auto-suficiência para continuar seu plano diabólico de executar lentamente a população síria, dando a ele o desprazer e o sabor da dor, da vingança, do castigo coletivo, da humilhação e do escárnio.

Me impressiona que ainda tenham forças para protestar, quando praticamente todos os recursos se encontram bloqueados ou sabotados. Os dias e as noites passam em eles permanecem protestando, sendo dizimados e protestando, sendo sublimados, e protestando, sendo massacrados e...


A exemplo do país sancionado ao extremo, as pessoas vão acabar achando um jeito de sobreviver sem o mínimo de recursos que a vida moderna oferece, afinal antigamente o mundo era povoado e a maioria dos recursos usados hoje, não existiam.

É por isto que Al-Assad e suas gangues, percorrem as fazendas e xácaras, destruindo as criações de animais, matando o cavalo, o jumento, o gado.... Tudo. Como resposta, o povo sírio também decidiu boicotar praticamente a vida, elevando a culpabilidade dos crimes cometidos na Síria até hoje, ao nível da falta de vontade política das autoridades internacionais. Na verdade o povo árabe culpa mais as autoridades árabes que estrangeiras não-árabes, porque são eles que se enrolam durante as tomadas de decisões. Falta liderança? Falta influência ou falta legitimidade?

Acima de tudo falta coragem para realizar o que não pode ser adiado. Deixar o povo sírio morrer, desestimulará as próximas revoltas e deixará registrado o alto preço da investida popular na libertação e na conversão de ditaduras em democracias.

De ontem para hoje cerca de 75 pessoas morreram. Quase metade delas morreram em Homs e Hama, que neste momento está debaixo de bombardeio por todos os lados. Com as greves gerais em andamento, devemos nos preocupar com o que restará deste povo daqui a 6 meses neste ritmo de degradação.

Abdul Hai seguia da mesquita para casa de bicicleta quando foi alvejado
por sniper. Voluntário de jaqueta tenta resgatar o corpo enquanto sniper atira.
Bairro de Byada em Homs - 14-12-2011
Se há força no mundo para deter este genocídio, porque não o faz? Esta Greve anunciada é mais uma "parada respiratória" do sistema. Uma falha na ação e reação. Por isto, diante da omissão das autoridades, que buscam apenas o lucro, fenômenos como estes surgirão. Auto-flagelo como forma jihadista de acabar com o sistema, acabando com todas as formas de subsistência do sistema. Mas Al-Assad permanece no poder... e quando sair, deixará um país impossível de ser restaurado em menos de 20 anos.

Com a falência nacional à caminho, não nos espantaremos quando o encontrarmos sentado num trono de ossos e carne humana, ao invés de um trono de ouro e tecidos caros. Quer saber? Por falta de interesse político e comercial, é mais fácil matar todo um povo que um presidente corrupto.

Postagens mais visitadas deste blog

A nova vida do Advogado Ércio Quaresma ex-defensor do Bruno Goleiro.

Ele subiu ao topo. Tornou-se um dos defensores mais admirados no cenário jurídico. Por um contrato milionário, foi defensor do Bruno, Goleiro do Flamengo, no caso do assassinato de sua namorada Elisa Samúdio, até que foi pego se drogando em uma cracolândia na região metropolitana de Belo Horizonte.


Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 25 de Novembro de 2011 - 07h26min.
O Dr. Ércio Quaresma foi professor de Direito na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Durante mais de 20 anos de carreira, cometeu deslizes não muito comuns, em se tratando de pessoas do seu nível e de sua formação; Por outro lado foi realizou defesas espantosas, dignas de meste. Se especializou na defesa de acusados de crimes hediondos por assassinato em 1º Grau obtendo bons resultados quase sempre. Isto porque em alguns casos o criminoso era indefensável, digno de toda culpabilidade e nada mais lhe restaria a não ser a pena máxima.

Mesmo assim sua experiência na defesa de criminosos praticamente condenados foi ex…

Tecnologia: Conheça "Psiphon" cryptograma que fura bloqueios de acessos à internet contra ditaduras.

O Psiphon é o programa de código aberto desenvolvido para ser distribuído livremente para permitir que países, cujos governos censuram o uso da internet e monitoram ligações feitas com o Skype não consigam detectar a conexão.


Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 23 de Novembro de 2011 - 07h54min.

Tudo começou quando o Jornalista Ivan Watson da CNN recebeu uma ligação de um jovem ativista sírio de pseudo Musaab al Hussaini via Skype. Além de denunciar a situação no seu país em tempo real, ele descreveu o grau de libertação que o anti-tracker Psiphon lhe proporcionou:



A empresa
A Psiphon Inc. é uma empresa de software que decidiu investir num sistema que pudesse ser adaptado a diferentes situações no mundo. Ele pode ser adaptado de acordo com cada tecnologia de bloqueio e de vigilância utilizado pelos governos, regimes, ditaduras e reinos  no mundo, bastando que desenvolvedores estejam inclinados a utilizar seu código fonte como base da programação.
"Nós da Psiphon acreditamos que a Inter…

Nigéria: Menina de 13 anos escrava sexual de 550 homens.

Um alerta para os pais: A menina "A" tinha 13 anos quando sua tia pediu aos seus pais autorização para levá-la de Akuda, no estado de Akwa Ibom para outra cidade, sob a promessa de que receberia melhor tratamento e teria melhores condições de estudo..
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 18 de Janeiro de 2012 - 10h17min.
Segundo a fonte nigeriana "PM News", a menina contou para a polícia que após seus pais terem autorizado a sua ida para o estado nigeriano de Lagos com sua tia, esta mesma a levou para um hotel. Lá  acriança contou que ganhou uma mini-saia, vestidos do tipo "tubo" e um quarto. De acordo com o testemunho da menina ainda, sua tia conhecida apenas como "vitória", teria ensinado como se comportar com os homens.
Até então a menina contou que não entendia o que estava acontecendo "até que começaram a chegar os homens". A fonte citando a menina disse que  ela percebeu que cada uma das outras meninas levavam seus "fregueses&qu…

A implantação e queda do comunismo socialista e o "Decálogo de Lenin"

O "Decálogo de Lenin" é um resumo do pensamento da implantação do comunismo de modo mais "social". Escrito por um brasileiro de Sorocaba, a obra, por incrível que pareça descreve exatamente a tragédia que o Brasil vive hoje sob a luz do Partido dos Trabalhadores - CONTINUE LENDO:

A "Revolução Bolivariana" era ainda um sonho de Chávez de unificar toda a América Latina sob seu comando. Ele pretendia instalar um regime comunista duro, com maior apelo social mas que culminava no empobrecimento de todas as camadas abaixo dele, e o enriquecimento exclusivo do Estado militarizado e de seus líderes.   Para isto Chávez contava com militantes de esquerda em todo o território latino, e depois do fracasso dos anos 60, finalmente nas últimas duas décadas, conseguiu colocar seus "agentes laranja" no poder em diversos países, entre eles Brasil e Argentina.

Quando o Brasil aderiu ao "Comunismo Socialista", por meio da comemorada ascensão de Luis Ináci…

Brasileiros e sírios levam arte às crianças refugiadas colorindo cenários de guerra

Uma iniciativa que merece muitos aplausos levou um grupo de jovens artistas de rua brasileiros, a se encontrar com artistas e ativistas de diversos países em conflito armado. Eles tentam transformar campos de refugiados em escola viva de pura arte em cenário de muitas cores! - Continue lendo:


Por Saulo Valley - O Observador do Mundo - Rio de aneiro 24 de Abril de 2017

"Magic Caravan" é um projeto social criado em 2013 e a ONG Al Caravan atua na Síria , Líbano, Turquia e Alemanha, ajudando a dar um futuro melhor para crianças e adolescentes sentenciadas a viver em campos de refugiados e campos de concentração ainda remanescentes na Alemanha.

Na Síria, o grupo ajuda crianças das regiões mais intensas do país, cujas áreas residenciais e rurais são constantemente bombardeadas pelo regime sírio, milícias islâmicas, Rússia e países ocidentais. Possui pequenos centros de educação em lugares considerados "redutos rebeldes" como Aleppo, Daara, Homs, Latakya, Damasco e Idlib…

Sepetiba está abalada com a morte de Maria Aparecida "Índia Pop Bazar"

Invejada, explorada, roubada muitas vezes por pessoas de sua inteira confiança, também era assaltada e assediada por pessoas que planejavam tirar proveito de seu sucesso profissional. "Cida", como gostava de ser chamada teve uma morte trágica e o bairro está em desespero com a onda de assaltos que vem infernizando a pacífica região.

Por Saulo Valley, O Observador do Mundo - Rio de Janeiro, 02 de Julho de 2013 - 10:10 GMT-3
Atualização: 19:35
   Até o fim de 2012 Maria Aparecida morava num cômodo dentro da loja "Índia Pop Bazar". Tudo porque se sentia insegura na questão das inúmeras tentativas de roubos, assaltos e golpes que tinha que conviver todo santo dia.

   Prosperidade perseguida

   Maria Aparecida era uma mulher de origem muito pobre e não tinha sequer a 4ª série do ensino fundamental. Mas sua dedicação ao trabalho, fez com que abrisse uma pequena loja de artigos de R$ 1,99.  No início poucas pessoas acreditaram, mas ela era divertida. Chamava atenção com seu…