sábado, dezembro 10, 2011

Religião, direitos humanos e democracia, apenas utopia?

Olhar perdido no horizonte à procura de um ponto de referência. Um sinal luminoso, que sirva como meta para que, ao caminhar sobre o cabo aéreo, a humanidade não olhe para baixo e não despenque no precipício.  Depois da religião, a democracia tem se tornado o maior sonho de conquista da humanidade mas há um grande obstáculo no meio do caminho:


Passeata do "Movimento Contra Corrupção" - Foto: Saulo Valley
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 10 de Dezembro de 2011 - 09h13min.

"Homs Alqreten Revolution News"
Quando a religião era uma obsessão e as pessoas acreditavam piamente em seus ensinamentos e obedeciam suas regras à qualquer custo, os povos do mundo inteiro abriam mão de seu próprio sustento para ofertar aos seus deuses ou à religião. Mas por trás de todo ato religioso, haviam outros homens. Pessoas que encontraram na religião um meio lícito de enriquecimento sem precedentes. Com o passar dos milênios, a religião se tornou morta para a fé, e avivada para o lucro dos que exploravam a crença das pessoas para seu próprio interesse. Multiplicaram-se os líderes e os templos e as pessoas empobreceram e mesmo ofertando tudo o que tinham, Deus não parecia ouvir.

Cansados de tanto dar e nada receber, os povos de todo o mundo iniciaram um processo de desintoxicação da religião, principalmente a fé radical. Decidiram lutar por uma vida normal, mais equilibrada e saudável, que não exija que a pessoa viva na total miséria "para que possa agradar aos deuses". Então para que esta meta fosse alcançada, as comunidades de todo o mundo descobriram que a "democracia" e os "direitos humanos" eram os caminhos para a salvação geral. Não mais ajoelhar e rezar/orar enquanto se espera por uma chuva de  milagres. Desta vez os povos não querem esperar cair do céu, eles querem conquistar mas para isto, precisam da proteção das leis internacionais e das bençãos de seus próprios governos, de acordo com as leis vigentes em seus países. Uma forma segura de se conquistar o bem-estar através de seus próprios esforços, cuja garantias estão nas maravilhosas leis internacionais dos Direitos Humanos.

Os esforços de milhares de pessoas têm resultado em muitas mortes em todo o mundo, citando as guerras religiosas passadas como paralelo, o mundo voltou à estaca zero ao descobrir que por trás do produto "democracia" mais uma vez, existem homens gananciosos, poderosos e que se mantém lado-a-lado ou acima das leis nacionais e internacionais.

Passeata do "Movimento Contra Corrupção" - Foto: Saulo Valley
Encurralados como gado sendo guiado para o matadouro, as populações gritam pelos seus direitos, enquanto são levadas à morte, que por consequência resultará em um grande retorno financeiro para um grupo pequeno em comparação com o grande "rebanho no matadouro".

Estamos perdendo a visão, ou o ponto brilhante no horizonte está se apagando?

Aliados, interligados e interdependentes, os governos do mundo inteiro vivem de fachada da "ajuda-humanitária", "democracia" e dos "direitos humanos", mas não é exatamente isto que estão buscando.

Eles estão visando os lucros e a cotação da bolsa de valores, commodities, comércio exterior, PIB, câmbio e Bla-Bla-Blá...

Assim como os interesses do patrão estão distantes dos interesses do empregado, os interesses do presidente estão distantes dos interesses do seu povo. Ele buscará resolver o seu problema, o problema de seus parceiros, investidores e aliados, e caso o povo tenha algum problema que afete diretamente os lucros, ele então sentirá necessidade de resolvê-lo.

Aquele ponto brilhante no horizonte parece mais um ponto negro agora. É engraçado ver que o Brasil tem um governo baseado na corrupção e na criminalidade quando supostamente defende a liberdade e a democracia, a justiça etc.  Visando sufocar as demandas populares, para cada exigência um processo de votação que consome anos de negociação e de acordos. Estes procedimentos são clipados com medidas provisórias, decretos, PECs e anos depois, outra lei aprovada revoga a lei que levou 4 anos para ser aprovada... Basta mudar o governo. Então tudo volta a ser como antes. Um verdadeiro curral global.

Desesperançado e desesperado, o mundo tenta achar um caminho, e ao ver que George W. Bush precisa ter seus crimes que cometidos durante seu governo esquecidos, para que Barack Obama decida condenar outros presidentes de países alheios, pelos mesmos crimes... "blog.american".

Então empresas, pessoas e grupos que lutam pelos direitos humanos na verdade, não são vistos como parceiros do governo, nem da justiça, mas adversários ou grandes obstáculos.

Enquanto isto George W. Bush vive de "Serviço Social", a democracia americana prende centenas de manifestantes diariamente. A democracia brasileira vai de vento em popa ajudando Al-Assad, Irã e Chavez, Medvedev e Wen Jiabao e servindo como obstáculo às ações das Nações Unidas. Uma desgraça? Depende do ponto de vista:

"clamor do povo marroquino"
O lucro é o ponto de equilíbrio do mundo. Aquela luz brilhante do horizonte não passa de marketing para fazer as pessoas doarem a si mesmas para uma nobre causa e no final, os mesmos de sempre ficarão cada vez mais ricos.

(O que é isto, Saulo Valley, uma mensagem de desesperança? Porque é que precisamos viver enganados, se podemos encarar os fatos e tomar nossas próprias decisões, com base no que conhecemos e não no que nos dizem?)

Olhando sempre para o futuro, não há como imaginar qual será o próximo ponto brilhante ou colorido que atrairá trilhões de pessoas para o matadouro, mas há de se ter certeza que precisamos achar uma forma de fazer com que as pessoas tenham vidas normais. Este é o ponto que nem é preto e que nem brilha.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: