quinta-feira, dezembro 01, 2011

Povo marroquino envia resposta à Liga Árabe pelas eleições passadas.

Em depoimentos, eles dizem que "não querem continuar se curvando ao homem", somente à Deus.  Querem que o Rei Mohammed VI abra mão de seu poder absoluto e distribua entre as classes políticas, e que as obrigações religiosas fiquem em outras mãos e deixem de fazer parte das leis constituintes vigentes no país.

"Marrocos se prepara para as eleições legislativas" - Cortesia: "Magharebia"
Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 01 de Dezembro de 2011 - 16h26min.
Atualização às 18h58min.

Enquanto a Liga Árabe saudava o povo marroquino pelas eleições tranquilas, elas na verdade estavam vazias. Enquanto elogiava o esforço pela Democracia, o povo denunciava as eleições de 2011 como fraudulentas.


Pra não ficar só nas palavras deles, mais de 100 mil pessoas foram às ruas de Casablanca exigir eleições honestas, transparentes e democráticas, sem falar na mais importante exigência do povo marroquino: A descentralização do poder e a desconcentração de todas as autoridades das mãos do Rei Mohammad VI.

Video: Esta demonstração foi chamada de "O dia do branco" em 27 de novembro, pedindo que as pessoas votem em branco mas exigindo ainda limpeza nas eleições.


"Nesta marcha de domingo, 27 de novembro para denunciar os resultados fraudulentos das eleições e mentiras para o povo marroquino, que boicotaram as eleições." - Disseram

Em massivas demonstrações eles saíram às ruas para denunciar que a corrupção estava clara e diante dos olhares de todos, gritando que queriam o "branco ocupando todo o olho":


Infelizmente no dia das eleições as reclamações e protestos populares não puderam ser vistos pelo mundo globalizado, provavelmente por algum tipo de bloqueio de acesso externo ou que limita a propagação das informações  promovidas via internet, por isto só agora estão surgindo...

E como ebulição estão emergindo em grande número após a restauração dos acessos. A palavra final do Dr. Nabil Al-Arabi, Secretário Geral da Liga Árabe foi muito sábia quando disse:
"...expressando a esperança de que está sendo acelerado o processo de implementação das reformas iniciadas por Sua Majestade o Rei Mohammed VI e, como que corresponde às aspirações do povo marroquino."

 Todos nós podemos contribuir para acabar com a desigualdade social no mundo. O povo marroquino não aguenta mais tanta miséria e ainda ter que se curvar para os poderosos. Para descrever seu esgotamento recebi o link deste vídeo a seguir que demonstra o tanto que estão cansados de se curvar e nada receber de volta:


O mínimo que desejam é uma "constituição verdadeiramente democrática, eleições transparentes e democráticas, e a descentralização dos poderes de Sua Majestade o Rei Mohammed VI. Proteção dos direitos humanos.

Atualização às 18h49min - Ainda milhares de manifestantes desempregados por 3 dias consecutivos saem às ruas protestando contra a situação econômica do país.


Pela manhã, na cidade de El Jadida centenas de manifestantes protestavam contra a demolição de seus barracos instalados numa favela. A demolição só começou depois da chegada de um gigantesco número de forças de segurança. De acordo com a página "O grito dos Marroquinos" alguns manifestantes incendiaram um automóvel e impediram o acesso dos bombeiros no local, para apagar as chamas. A população que vivia em ocupações supostamente irregulares criou uma barreira composta por mulheres e crianças enfrentou a segurança mas com a chegada de reforços, o bloqueio foi furado pelos soldados que não utilizaram a força.



Simultaneamente várias manifestações acontecem no país. Trabalhadores, desempregados, estudantes, eleitores, as mulheres, os injustiçados, e o sedentos por democracia ainda vem pela frente o dia 04 de Dezembro que foi proclamado como o "Dia da Ira". Espera-se que seja apenas ira interior.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: