segunda-feira, dezembro 19, 2011

China: Atualizações de Wukan - 19 de Dezembro de 2011

Nos últimos dias as informações estão reduzindo, graças ao esforço do governo chinês para impedir que o mundo tenha conhecimento do que possa estar acontecendo em seu território. Um vídeo postado no youtube revela a violência dos protestos, que levaram trabalhadores ilegais a invadir o batalhão de polícia e quebrar viaturas.

Por Saulo Valley -Rio de Janeiro,  19 de Dezembro de 2011 - 09h30min.

Os acontecimentos na Aldeia de Wukan apresentaram modificações no terreno. Os moradores abriram 3 acessos à cidade que haviam bloqueado para impedir a chegada da polícia e para impedir furtos na cidade por moradores de fora da vila. Mas , como era de se esperar, a comunidade não poderia suportar por muito tempo, então 3 bloqueios foram desfeitos e em dois acessos da aldeia estão em meia-pista.

Video: protesto em Wukan pelos manifestantes mortos.


Em virtude da repercussão mundial das notícias de Wukan, um jornalista/ativista chinês chamado C. Custer, disse que tem informação de que o governo chinês abriu inquérito para investigar os funcionários envolvidos no caso das vendas e cessões de terras na região e as empresas que estão se beneficiando com o esquema. De acordo com o "news.sina" além das investigações da Comissão de Inspeção Disciplinar, o governo congelou os acordos comerciais e parcerias com as empresas, a Lufeng Pecuária Co. e a Country Garden Toyota.

De acordo ainda com a fonte, todos os suspeitos são membros do partido comunista.
Há denúncias de que o acesso à internet foi bloqueado na região. por isto as poucas informações que se têm estão datadas desde o início, dia 08 até o dia 16. As mais recentes informações estão num "curta-metragem" de uma coleção de imagens gravadas por cinegrafistas amadores e o próprio C. Custer, que foi postado no dia 15 no youtube.


Via Twitter

O jornalista Malcom Moore retwitow um post de um jovem ativista chinês "@WLYeung" que disse que as ativistas estão sob vigilância do governo, que tem procurado oprimir a qualquer pessoa ou grupo que expresse apoio aos moradores de Wukan.

O blogueiro @idzhangjian publicou pelo twittpic uma foto de uma cartaz espalhado por toda a vila de Wukan. Um impresso com a seguinte mensagem que é a cara do governo:

Nota para os amigos da mídia:  A vila de Wukan está muito feliz de receber muitos membros da mídia, para apoiar nossa vila e nossos eventos. Por favor faça relatórios positivos. Por favor evitem usar "Uprising" e outras palavras que lembram "revolta". Nós não estamos revoltados, nós apoiamos o Partido Comunista. Nós amamos nosso país. Obrigado por sua atenção. Wukan.
A ativista chinesa Rachel Beitarie disse que o governo chinês está publicando relatórios segundo sua própria versão, distorcendo os fatos e acusando a população de diversos crimes. Em resposta a população tem produzido suas próprias mídias. Wukan está distribuindo CDs com gravações até dos policiais espancando moradores, disse ela.

Por twitter, ela disse que o abastecimento de arroz para a a aldeia de Wukan havia sido bloqueado pela polícia, mas que há um pequeno carregamento sendo transportado por moto que foi entregue neste Domingo, 18.

Apesar da grande explosão da revolta de Wukan pouco se sabe que dentro da China acontecem grandes protestos. Nos últimos 4 meses, as revoltas tem alcançado proporções nacionais. Cada cidade ou comunidade, usa um tema local como alavanca para as ocupações e demonstrações pacíficas, que são sempre reprimidas com grande força policial e bloqueio de mídia.

Assista este video gravado em Agosto deste ano, quando a população protestava contra o despejo em Dalian:

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: