quarta-feira, dezembro 07, 2011

Cairo: Liga Árabe condena Massacre em Homs - Saiba mais.

A batalha que acontecia na Líbia, geralmente focada em Benghazy, Sirte e Trípoli, por exemplo, na Síria acontece com o mesmo volume mas só concentrado em Homs. Esta gigantesca saraiva de fogo, incomensurável mar de sangue e incalculável volume de combatentes por metro quadrado, tem explicação:
O Clã: Hafez Assad, Bashar e Maher de camuflado. Cortesia:
"Coordenar as aldeias revolução - humilhante - diálogos - perfuração
 - Aghannther - o processo de Homs
"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 07 de Dezembro de 2011 - 18h28min.
Atualização: 21h58min.

♥░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░♥
♥░▓▓░░▓▓░▓▓▓▓▓░▓▓▓░░░▓▓▓░░▓▓▓▓▓▓▓░░░♥
♥░▓▓░░▓▓░▓▓░▓▓░▓▓░▓░▓░▓▓░░▓▓░░░░░░░░♥
♥░▓▓▓▓▓▓░▓▓░▓▓░▓▓░░▓░░▓▓░░▓▓▓▓▓▓▓░░░♥
♥░▓▓░░▓▓░▓▓░▓▓░▓▓░░░░░▓▓░░░░░░░▓▓░░░♥
♥░▓▓░░▓▓░▓▓▓▓▓░▓▓░░░░░▓▓░░▓▓▓▓▓▓▓░░░♥
♥░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░♥


Homs é a Benghazy da Síria. A capital da revolução, onde atualmente abriga o maior número de dissidentes e concentra a maior resistência popular contra o regime. Na verdade são só contra Bashar, mas contra seu pais Hafez. Homs ainda amarga o massacre de 1982 e a perda dos mais de 45 mil revolucionários e civis em apenas 2 semanas, e Hafez nem foi condenado pela Côrte Internacional.

A sede de vingança contra o clã Assad é histórica. Há quem diga que "não importa quem esteja no poder e como seja o novo governo, Alassad é que não pode permanecer!" Ódio concentrado respondido com a mesma frieza, e crueldade que Hafez. Bashar Al-Assad tem ordenado a execução de toda a revolução em prazo recorde. Você já ouviu falar disto antes? É vero. À cada novo prazo, Al-Assad visualiza uma nova oportunidade para dar cabo à toda a oposição ao seu governo. Sabe que a força da revolução está concentrada em Homs, influencia Daraa, Idlib, Latakya e Damasco. Homs... O maior número de manifestantes reunido nas ruas, praças, mesquitas e nas valas comuns...

"Homs Alqreten Revolution News"
(Cortesia)
Estratégia para sedição

É assim que vive a Síria. Há algum tempo a "inteligência" de Al-Assad decidiu semear a divisão da revolução por meio de sedição. Seu esforço foi detectado nas primeiras tentativas, porque o povo já viveu isto antes. Hoje eles resistem ainda mais. Mas em outras cidades como Aleppo e Rastan, a sede de vingança falou mais alto e por impulso alguns aceitaram a proposta da formação de um tipo de "exército comunitário" chamado "Exército Saladino". Inocentes ou não o pequeno grupo aceitou adquirir armas. Aliás, há cerca de 3 semanas, comerciantes e industriais de algumas cidades sírias estavam pedindo ajuda internacional para comprar armas, para armar a juventude, e esta já era uma semente sectária.

O primeiro grupo de saladinos na atual Revolução Síria foi criado há dois meses e tinha apenas 4 rebeldes, em Outubro. Atualmente o exército de Saladino não deve chegar a 200, mas podem comprometer o plano Árabe, como?

Hoje novas revelações divulgadas pelo site sírio "homsrevolution" comprovaram que Al-Assad planejava comprovar a existência de grupos de civis armados e conflito racial, para justificar a força militar nas ruas, e os saladinos seriam as provas. Com este trunfo ele assinaria o acordo da implantação de observadores proposto pela Liga Árabe, e iniciaria, agora com a comprovação dos observadores uma investida ainda maior em repressão aos manifestantes, provavelmente até com ajuda internacional e apoio financeiro de Estados árabes. Com isto, Bosnia seria uma pequena ponta de cigarro dentro de uma fornalha acesa.

The 134th Arab League's ministerial meeting 2010 - Cortesia:
"Bahrain Ministry of Foreign Affairs "
Liga Árabe

 Nesta quarta, o Dr. Nabil, secretário-geral dos Estados Árabes, denunciou em nome da Liga Árabe, os "crimes, violência e assassinatos que ocorrem na cidade de Homs, e várias outras partes da Síria, o que levou à queda dos cidadãos sírios de dezenas de pessoas inocentes."

De acordo com o comunicado de imprensa emitido pela Liga Árabe, o Secretário-Geral apontou para o índice de mortes que cresce cada mais a cada dia e que "exige profunda preocupação e pesar". Disse ainda esta violência "levanta temores sobre a situação em algumas cidades da Síria em uma espécie de conflitos sectários".

Levando em conta a alarmante gravidade da situação, "o Secretário-geral acrescentou que a continuação de tais crimes ameaçam os esforços árabes sendo feito para salvar a Síria e assistência para sair do actual impasse político e evitar interferências externas."


Turquia

A Turquia por sua vez, anunciou novas sanções comerciais contra a Síria, anunciando taxas de importação de 30% imposta sobre todas as mercadorias enviadas da Síria e a agência "daralhayat" divulgou que suas novas novas rotas comerciais excluirão a Síria, e que atenderão o Egito por mar e o Iraque por terra.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: