segunda-feira, novembro 07, 2011

SOS SÍRIA: SNC declara DESASTRE HUMANITÁRIO em HOMS


O SNC (Conselho Nacional Sírio) emitiu na primeira hora desta segunda uma declaração urgente de Desastre Humanitário na cidade de Homs. Pelo menos 2 milhões de pessoas estão impedidas de comprar alimentos, remédios e estão sob pesado bombardeio.

Delegação do SNC com Nabil Al-Arabi na Liga Árabe - Cortesia SNC
Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 07 de Novembro de 2011 -06h13min.

De a cordo com os dados enviados pro diversos relatórios produzidos pela Revolução Síria, a região de Homs vive o quinto dia de completo isolamento e bloqueio militar. Bem lembrado pelo SNC que a opressão sobre a cidade de Homs começou no dia 25 de Outubro, véspera do encontro da Síria com a comitiva da Liga Árabe que visava um acordo de pacificação nas negociações entre o governo sírio e o povo sírio.

Estratégias desumanas

À partir do encontro com a Liga, a cidade de Homs (Hims) foi completamente sitiada tendo suas estradas bloqueadas por tanques do exército, a implantação exagerada de postos de controle em cada esquina, bem como o bombardeio aleatório contra as residências. O SNC denuncia a utilização de caças, tanques, artilharia pesada, lançadores de foguetes contra bairros residenciais.

Como se não bastasse para castigar o povo sírio pela rejeição ao regime Assad, a entrada de suprimentos médicos e gêneros alimentícios estão seguramente impedidas além das comunicações.

Na passagem de Domingo para esta Segunda, a SNC relatou:

"Um ataque em grande escala, e um abate indiscriminado" efetuado pelas milícias "e a proliferação de corpos e a incapacidade dos familiares de enterrá-los ou de terem acesso a hospitais devido aos bombardeios e ataques de franco-atiradores."
"O SNC (Conselho Nacional Sírio) anuncia à opinião pública árabe e global : "desastre humanitário na Cidade de Homs" e solicita insistentemente às Nações Unidas e suas organizações humanitárias, a Organização de Cooperação Islâmica, a Liga dos Estados Árabes e todos os organismos internacionais preocupados com direitos humanos."

O SNC solicita às organizações de direitos humanos as seguintes ações:

1. A condenação do ataque do regime sírio sobre a cidade de Homs, nos termos mais fortes e instá-lo a cessar imediatamente.
2. Declaração de desastre humanitário na cidade de Homs e a aplicação de uma legislação internacional para a prestação de assistência médica e de socorro, e o movimento das organizações a nível internacional para parar o massacre realizado pelo sistema.
3. Obriga-los a fornecer proteção internacional para os civis, e garantir que eles se afastem das áreas que estão expostos a bombardeios e destruição, e ajudá-los a encontrar um refúgio seguro.
4. Enviar observadores árabes e internacionais em um instante para a cidade de Homs para supervisionar a campo para acompanhar a situação e impedir que o sistema continue a cometer massacres brutais.
5. Documente os crimes cometidos pelo sistema e que sejam apresentados ao Tribunal Penal Internacional, em preparação para o julgamento dos responsáveis.
A declaração foi assinada pela Secretaria Executiva do Conselho Nacional Sírio.


Liga Árabe

No último Sábado a Liga Árabe convocou mais uma reunião de emergência para discutir o descumprimento do acordo por parte da Síria. Citando "DarAlHayat", "AFP" e "Reuters" como fontes que disseram que a reunião de emergência foi solicitada em virtude do assassinato de 24 pessoas naquelas últimas 24 horas, por forças de segurança, demonstrando fracasso do regime sírio em implementar as mudanças exigidas no acordo entre o Ministério e o Regime de Al-Assad.

As fontes informaram que a Liga realizará uma reunião introdutória na próxima sexta-feira. A Liga se reunirá com o propósito de aumentar a pressão sobre a Síria, exigindo o fim do ataque aos civis imediatamente, além da sanções práticas, entre elas, deverão dar início à discussão sobre a exclusão da Síria do Conselho Árabe.

Regime Sírio

"Dar Al-Hayat" disse ainda que em um encontro de anciões e chefes de clãs na província de Raqqa, que Al-Assad teria dito que:

"O povo sírio e de pé contra a sedição, terrorismo e interferência estrangeira ..." Dizendo que a Síria está "forte com seu povo e suas escolhas nacionais" dizendo-se "determinado a trabalhar na restauração dos direitos nacionais na íntegra", de acordo ainda com a fonte, Al-Assad teria acrescentado que "ele não tem escolha, mas deverá prevalecer em qualquer batalha, visando a  soberania e decisões nacionais da Síria."

Consenso Geral

O Conselho Nacional Síria afirmou ainda que só em dois dias pelo menos 3000 civis foram presos por forças de segurança sem a menor acusação. O SNC citando a Liga Árabe disse ainda que a Rússia e a China, temendo uma operação militar da NATO na região, decidiram apoiar a Liga a pressionar o regime sírio, na preparação de sanções diplomáticas e econômicas com a aprovação da maioria dos 22 ministros que compõem o Conselho.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: