segunda-feira, novembro 14, 2011

Síria: Liga árabe chama partidos de oposição para discutir transição - 14-11-11

Ghazaleh - A Revolução Síria informou há pouco que 30 pessoas foram feridas em ataque aleatório das forças do regime de Al-Assad deixando pelo menos 10 vítimas em estado grave. Enquanto as mortes continuam, Liga Árabe se esforça para dar oportunidades para Al-Assad sair em paz. 

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 14 de Novembro de 2011 - 11h36min.

Erros da Liga Árabe - A Liga não acertou quando acreditou que Al-Assad se esforçaria para cumprir o acordo, mas acertou na tentativa de oferecer uma oportunidade de reparação ao regime de Al-Assad. 

Mais um erro está em andamento: Na busca de ser a mais correta possível, a Liga parece não entender quando o povo sírio grita nas ruas que os partidos de oposição da Síria são funcionários do regime e só fazem figuração como oposição, mas são apoiadores de Al-Assad (até por questão de auto-preservação).

De acordo com o site "frontpagemag", a Liga Árabe está convidando a "todos os partidos da oposição síria para uma reunião na sede da Liga Árabe para concordar com uma visão unificada para o período de transição". Uma atitude que parece ignorar as demandas do povo sírio. Se esta determinação estiver correta, Al-Assad deixará o poder nas mãos de seus associados e sairá ileso enquanto poderá manter o regime exatamente como está. Foi exatamente por isto que o povo sírio decidiu pela não formação de partidos políticos para o momento, deixando está ação para depois da queda de Al-Assad. Eles querem a formação de uma nova constituição nos moldes europeus e querem a renovação do governo como um todo.

Ahmet Davutoglu
Cortesia: "wikipedia"
Segundo a Autoridade Geral da Síria até os representantes políticos do povo serão escolhidos por ele. Não aceitarão a oposição do atual regime. São tão falsos quanto aqueles milhares de funcionários do regime em manifestações pró-Assad (pró-patrão). Por falar em manifestação, a Revolução Síria citando o Primeiro-Ministro turco Tayip Erdogan que como tendo elogiado o CNS (Conselho Nacional da Síria ). Citando ainda Davutoğlu, Ministro das Relações Exteriores da Turquia como que dizendo que o CNS "representa a vontade real do povo sírio".

Segundo a fonte, Davutoğlu teria cumprimentado a Secretaria Geral do CNS/NSC em Ancara neste Domingo (13-11) confirmando a próxima reunião de emergência para a Liga no dia 16 (quarta).

Segundo a Revolução Síria ainda, o Ministro dos negócios estrangeiros da Turquia atribuiu ao regime sírio a responsabilidade pelos ataques às embaixadas em protesto contra a decisão da Liga de suspensão da Síria.

Ele afirmou que a Síria "permitiu que pelo menos 1000 pessoas atacassem a embaixada turca por 2 horas sem que enviasse qualquer proteção policial pelas forças de segurança. (mal sabia ele que as forças de segurança é que estavam quebrando a embaixada).

O Ministro teria oferecido parceria e apoio ao CNS, que mostrou-se muito satisfeito com os resultados conquistados pelo Conselho em tão pouco tempo de organização, destacando que o Conselho representa a vontade do povo refletido nas manifestações dos jovens sírios.

Segundo ainda a revolução citando o Dr. Burhan Glion, Presidente do Conselho Nacional Sírio como agradecendo o esforço da Turquia na defesa do povo sírio, aceitando conversar com a oposição popular sem restrições.

A Revolução disse que o CNS denunciou os Shabihas à serviço do regime sírio por terem queimado a bandeira turca descrevendo como esforço da Síria de provocar uma "guerrilha".

Segundo a fonte, o Ministro turco teria oferecido apoio ao CNS incentivando a "convocação do Conselho de Ministros dos negócios estrangeiros dos Estados islâmicos a congelar" o regime sírio e a "retirada de embaixadores" bem como a "imposição de sanções econômicas" e "oferecer suporte os esforços de proteção internacional de civis sírios".


Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: