terça-feira, novembro 08, 2011

Síria: Homs: Vive operação de guerra sem precedentes

Poderosas explosões acompanhadas de muitos tiros e infinitos estrondos arrasadores e ensurdecedores na região norte de Talbisah, bairro de Homs. Uma gigantesca operação com uso de Helicópteros militares, uma absurda quantidade de tanques, e snipers.

Fortes explosões em Baba Amr - Snapshot
Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 08 de Novembro de 2011 - 06h45min.
Atualização: 08h07min.

O dia de ontem foi muito violento em Homs. Mesmo assim houve festa. Tudo porque um pequeno batalhão de dissidentes formado e Latakya foi oferecer ajuda aos dissidentes de Homs que lutam bravamente para conter o genocídio. Pelo menos 35 residências foram completamente demolidas por bombardeios de tanques e a maioria dos civis mortos ontem na região, foi executada por franco-atiradores.


HAMA SITIADA - Relatório de 08 de Novembro de 2011

A CCLSy (Coordenação de Comitês de Locais da Síria) informou que ontem tanques foram instalados na Ponte Mazareb enquanto que forças de segurança e infantaria do exército iniciavam pesado iniciavam pesado tiroteio com armas de grosso calibre em Jobb Roundabout. A CCLSy disse ainda que neste processo inicial de ocupação, que:

 "Franco-atiradores e shabihas foram estacionados ao redor do perímetro do complexo médico e a sede do Partido Baath do bairro de Construção."
Ela falou sobre a movimentação de tanques e veículos blindados (tipo caveirão) cruzando a cidade até o Centro de Hama. A implantação de veículos blindados (que são uma espécie de casa-mata sobre rodas) "também foram vistos no centro da cidade, dois deles estão indo para Asi Square."

Como sempre a eletricidade e comunicações de Internet foram cortados de várias áreas. E também muitos relatos de feridos em Sharqieh.

Tanques chegando em Idleb - Snapshot
 Tiros de armas pouco convencionais sã facilmente ouvidos em Hama, enquanto o complexo médico na área Manakh, e o edifício-sede do Baath Party são utilizados por múltiplos snipers.

A violenta operação para silenciar e intimidar o povo sírio se estendeu das entradas até o coração de Hama desde ontem violentos ataques, bombardeios e confrontos com dissidentes que se recusam a matar civis e precisam se defender para não serem executados por rebeldia.

Enquanto isto se multiplicaram os postos de controle ao redor das áreas isoladas para impedir que a população fuja dos bombardeios. Há relatos de uso de morteiros contra as residências.


Este nova campanha contra Hama, que há 2 meses esteve sob completo bloqueio e mortes terríveis eram aplicados por meio de torturas e mutilações ao estilo Hesbollah, se dá agora ao fato de que esta região tem sido um grande foco de protestos massivos contra o regime de Al-Assad. Para impedir que os feridos sejam socorridos, o Hospital Nacional foi ocupado pelo exército e forças de segurança.

A CCLSy denuncia que as forças de segurança continuam sequestrando corpos de suas vítimas

Enquanto que Assad anunciou a libertação de 533 manifestantes prisioneiros, em 2 semanas a Revolução verificou que pelo menos 3.000 pessoas foram presas em todo o país, para serem somadas aos mais de 67 mil presos e desaparecidos desde o início da revolução em Março. O dia de hoje já começou com 7 mortes provocadas por snipers. Todas as vítimas eram civis em Homs. Os grupos de Direitos Humanos da Síria, que apóiam a revolução na questão humanitária possuem as listas de nomes de todos os presos e desaparecidos.

08:07min (GMT-3) Atualização URGENTE:


O prefeito da aldeia síria de Kvrtkharam, em Idleb, tem apoiado o seu povo e em virtude desta corajosa atitude, de acordo com a agência independente "SNN"  de notícias da Síria que o chefe da segurança militar fez uma ligação ontem para a autoridade local ameaçando bombardear a região de Kvrtkharam à começar das 11:00 (local) desta manhã de terça - feira, (08-11-2011).


A fonte disse que as pessoas estão em completo desespero e que as famílias estão começando a deixar a aldeia.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: