sábado, novembro 05, 2011

Hackerativismo: OpSyria: Todos os segredos da segurança digital da Síria.

Uma organização francesa não-governamental cuja característica de atuação é descrita como "Hackerativismo" invadiu a segurança da síria para descobrir como e o que fazem para vigiar ou bloquear todos acessos de internet, monitorar e-mails e conversações telefônicas, como resultado, um turbilhão de novas descobertas surpreendentes:

Fonte da imagem: "OpSyria"
Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 05 de Novembro de 2011 - 20h58min.

O primeiro objetivo do grupo era provar que a Síria utilizava recursos que monitoravam e armazenavam todos os e-mails enviados dentro da Síria e do país para o exterior.

Em seu primeiro esforço o Grupo Reflections descobriu que o regime sírio utiliza filtros de proxy para censura da web bem como monitorar a oposição. O grupo salientou que o equipamento é de "origem americana" modelo SG9000 da  empresa igualmente americana "BlueCoat".

O grupo destacou que a venda deste tipo de equipamento para a Síria já havia sido proibida em vários anos de sanções, porque a América sabia do que poderia causar na mão de um ditador. O grupo disse que fez esta descoberta em Fevereiro quando investigava equipamentos de intercepção de largura de banda para a Líbia pela empresa Amesys. O grupo garantiu que a empresa "tomou parte na instalação e no treinamento destes recursos para o regime de Kaddafi.

Banner da BlueCoat
Segundo a fonte a empresa BlueCoat havia negado cinicamente a existência destes equipamentos SG9000 em solo sírio. O grupo rastreou a venda de 14 unidades do SG9000  no valor de 700 Mil dólares para os Emirados Árabes e constatou que apenas 13 chegaram ao destino planejado, informando que o 14º foi supostamente extraviado, inexplicavelmente permaneceu sem notícias.

"BlueCoat: O Controle é Seu"
No total 25 equipamentos da BlueCoat chegaram em solo sírio desde 2005, mas empresa nega ter burlado o embargo americano. A inteligência americana tem pressionado a empresa com sede no Iraque para explicar como seus produtos têm cruzado a fronteira síria. Foi o "Wall Street Journal" que revelou mais tarde que a síria utilizava os produtos da BlueCoat, como o software "PacketShaper", na versão "K9 Web Protection" para PC pessoais, o que nunca havia sido feito antes, disse a fonte.

Após varrer a infra-estrutura síria de vigilância, o grupo descobriu que a Síria usava recursos que "bloqueavam as conexões seguras para forçar o uso da conexões inseguras e manter facilmente o controle e monitoração, mas o grupo Hacker Reflects garante que sem a participação direta da BlueCoat não seria possível.
Diagrama de atuação da Série "SG" da Blue Coat
Para esta operação difícil 3 grupos hackers se uniram com tarefas divididas para desmembrar as tecnologias da Síria: Telecomix , Fhimt.com e Reflets.info. No mergulho profundo nas defesas sírias o grupo publicou as informações sobre "a infra-estrutura crítica da comunicação e informação, as principais empresas locais e prestadores de serviços que tornaram a repressão à internet e às comunicações possíveis.

A publicação possui várias páginas e os interessados devem continuar lendo na página original em francês:
http://reflets.info/opsyria-bluecoat-admet-maintenant-la-presence-de-ses-produits-sur-le-sol-syrien/


Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: