sexta-feira, novembro 25, 2011

Exército Livre captura 11 xiitas do Hezbollah em ambulância equipada com armas.

O dia foi muito quente. A temperatura das armas de fogo na mão do exército regular da síria não abaixou nem um minuto. Armas de todos os calibres cuspindo balas em todas as direções. Enquanto isto a Liga Árabe discute agir mesmo com a omissão da Síria.

Sexta - "O Exército Livre me Protege" 25-11-11
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 25 de Novembro de 2011 - 19h45min.

Ontem foi liberado pelo Exército Livre um vídeo de uma importante captura e apreensão que aconteceu no dia 13/11. Uma operação muito bem orquestrada pelo Exército Livre resultou na captura de 11 guerreiros xiitas do Hezbollah que ocupavam uma ambulância abastecida de armas na cidade de Homs, utilizadas em campanhas para deter as manifestações populares na Síria.




O Exército Livre explicou que esta bem sucedida operação mostra que a linha de pensamento do regime sírio está atrelada ao pensamento do "Hama", cuja regra (para quem está no poder) é "nunca deixar o poder, custe o que custar", e que "Não há regras para permanecer no poder", disse um membro do grupo. Ele destacou que as "regras do Hama" foram responsáveis pelo assassinato de 38.000 cidadãos sírios em toda a Homs, para impedir que Hafez Assad (pai de Al-Assad) fosse retirado do poder em 1982.

Todos os tipos de assassinatos, prisões, torturas, mutilações desde recém-nascidos a idosos, passando por deficientes e em fim, qualquer esforço para se manter no poder. Ele destaca ainda que o fato de usarem ambulâncias é uma forma do regime aterrorizar as pessoas. Assim todos ficam sabendo que as ambulâncias transportam milícias. Com isto elas ficam receosas de entrar numa ambulância para receber socorros médicos e serem sequestradas ou executadas em seus interiores.

Ele disse que a presença do Hesbollah na Síria é uma importante estrutura para Al-Assad que está vendo seu exército se desmontar. Como é do conhecimento de todos, além do Hesbollah (que parte do Líbano), a  Síria ainda conta com especialistas da Guarda Revolucionária Iraniana, e depende cada vez mais exclusivamente de seu irmão Maher Assad que lidera a 4ª Brigada (Operações Especiais), mas alguns dos batalhões da brigada têm enfrentado rachas sistematicamente em Latakya, Deraa e Idleb.

As incursões das forças de segurança da Síria estão em um nível que jamais haviam chegado. Elas ganharam tal poder após a Liga Árabe entrar iniciar o "diálogo" com o regime e dias depois se tornou um estressante "monólogo".

Há 4 destinos para soldados desertores:
  1. São executados no momento que desobedecem ordens
  2. Foge do país
  3. São escondidos por seus familiares
  4. Unem-se ao Exército Livre para proteger suas famílias.
Mas para o povo sírio suas exigências não ficam sem respostas. Elas crescem à medida de suas demandas em volume, grau de impacto, terror e mortes.

Nesta Sexta-feira dedicada ao Exército Livre pelos manifestantes que gritam seu nome nas ruas (sexta: O Exército Livre me Protege) a BBC foi mais uma agência de Notícias que revelou partes de uma gravação clandestina produzida por dois funcionários seus que acompanharam secretamente o trabalho do Exército Livre no lado palestino da fronteira por uma semana. 

No dia 16 passado foi a vez do "Channel4" a enviar repórteres para o fronte ao lado do Exército Livre em uma operação de ataque a uma base militar do regime sírio. É importante que as agências de notícias saibam que Al-Assad não terá receio em executar repórteres, se perceber que entrar no país clandestinamente se tornou uma "febre".

Video: Manifestação de mulheres estudantes fogem do fogo aleatório do exército Sírio.

Artigo em Destaque

Pra quem reclamar quando autoridades estão ligadas aos criminosos?

Quando você se vê atingido por uma autoridade usurpadora do teu próprio direito, a quem reclamar, quando você sabe que a autoridade máxima ...

Leia também: