sexta-feira, novembro 18, 2011

Cairo: Liga Árabe quer uma resolução forte para Síria.

A Síria tenta ganhar tempo no caminho da diplomacia. Ontem à noite o primeiro-ministro sírio pediu ao Dr. Nabil Al-Arabi para modificar as exigências na implantação de observadores. Quer diminuir a pressão árabe contra o regime enquanto aumenta a pressão contra civis iniciando uma escalada de mortandade 3 vezes maior que antes.


Assad cercado por todos os lados - Cortesia:
"Nós somos todos feitos do herói Hussein Hermosh"
Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 18 de Novembro de 2011 - 17h18min.

Forças militares marchando à todo vapor realizam ferozes ataques contra a população síria há dois dias, matando em elevado nível e provocando maior número de deserções nas fileiras do exército, além de rachas no seio da seita Alawita. O surgimento de vários novos batalhões rebeldes nestes dias, é reflexo da pressão que a inteligência síria tem feito sobre o exército, lançando sobre ele toda a responsabilidade pelo sucesso ou fracasso do regime em atender às exigências da comunidade árabe representada pelo Conselho de Ministros.

A "ACUS" (Conselho do Atlântico) disse que a aproximação da França com a Turquia fazia parte de um plano para a tomada de decisões e articulação para a próxima fase do "Plano Árabe", que acima de tudo consiste na indicação da França e da Grã-Bretanha para comandar as próximas ações da NATO, em conjunto com os Estados Unidos da América e a Turquia.

De acordo com a fonte que disse que a liderança da Liga Árabe entrou em contato na Terça-feira com a França e a Grâ-Bretanha pedindo a elaboração de uma resolução contra a Síria. Uma resposta internacional forte para o regime.


O Conselho do Atlântico Norte disse em uma publicação que os dois países escolhidos para liderar a próxima fase tem a maioria da aprovação da Liga Árabe e ainda têm a melhor relação com os Estados Unidos e com a Turquia. De acordo com a fonte, o Ministro dos Negócios Estrangeiros francês Allain Juppé iniciou os primeiros passos convidando as Nações Unidas para agir contra a Síria logo depois de sus conversa com o ministro das Relações Exteriores da Turquia Ahmet Davutoglu.

Apesar dos preparativos ainda há muito o que se considerar e articular, já que o maior medo do ocidente é provocar rejeição da liderança árabe. O "ACUS" Por outro lado citando uma fonte diplomática disse que os líderes árabes vizinhos têm diferentes idéias entre eles e não chegam a consenso algum. Também não se sentem preparados para comandar uma ação desta natureza. Citando ainda como exemplo uma declaração feita pela fontes diplomáticas o "ACUS" citou o "Daily Telegraph" que em uma entrevista teria colhido a seguinte declaração sobre a iniciativa árabe de liderança de um embargo aéreo:

 "Se deixar tudo para nós, você vai ter um monte de bobagens", como a liderança árabe tem uma variedade de idéias diferentes e não conseguiriam sair do lugar, completou: "Se você precisa de um capitão da equipe nesta você tem que ir para o Ocidente."

De acordo com o Guardian, enquanto a França foi conversar com a Turquia, David Cameron (Grã-Bretanha) encontrou-se com o o Rei jordaniano Abdullah para criar um clima de cooperação entre a comunidade ocidental coma comunidade árabe.

Enquanto isto à cada hora mais civis são mortos em ataques realizados pelo exército regular e as forças de segurança da Síria. Este vídeo foi gravado na noite de ontem, quando as forças de segurança emboscaram uma manifestação popular... ASSISTA.


Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: