domingo, outubro 23, 2011

Turquia: 49 curdos mortos em resposta a ataque que matou 80 turcos em 10-10-11

Os combates entre a Turquia e o Curdistão já completam 10 anos. O conflito que se iniciou em 2001 vem se agravando ano-após-ano.



Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 23 de Outubro de 2011 - 09h46min

No dia 10 de Outubro a força-aérea turca em uma operação militar levou a morte do líder partidário Rustham  Othman, 42. A vítima era membro do PKK (Conselho do Partido dos Trabalhadores do Curdistão). Em reposta, as forças especiais do Curdistão disseram ter matado pelo menos 81 soldados turcos. De acordo com o site SKS cerca de 7 curdos morreram no combate. No dia 20 de Outubro ainda pelo menos 24 soldados turcos morreram e outros 18 ficaram feridos em ataque reportado pelo "nytimes" em Hakkari, considerado um dos mais violentos ataques dos últimos anos, disse a agência.

Como resultado, o The New York Times informou que desde a sexta (21), a resposta turca levou à morte de 49 curdos em dois dias de combates. Citando ainda a fonte que citou o vice primeiro-ministro Bulent Arinc como dizendo que as operações militares na região não tem data para terminar e que o comando militar decidiu que as tropas não voltarão para casa até que a situação seja resolvida.

"A questão curda vem acontecendo há muito tempo, e precisa de resolução. Muitas pessoas estão morrendo neste conflito, em ambos os lados, e a matança tem de parar."  SKS.
Uma página pró-PKK criada no flickr disse:

"O PKK luta por autonomia no sudeste da Turquia desde 1984 e mais de 30.000 pessoas foram mortas no conflito até Out/2007. O PKK tem sido rotulado como uma organização terrorista pela Turquia, os EUA e a UE".

Este conflito vem ganhando destaque à medida que ações terroristas vem acontecendo. No dia 20 de Setembro uma bomba instalada num carro estacionado perto do prédio do governo, matando 3 pessoas e deixando outras 34 feridas em Ankara.

No último dia 18 uma blitz  na província sudeste de Bitlis distrito Güroymak para averiguar um carro suspeito que na verdade carregava uma bomba que explodiu matando 5 policiais e 3 civis de imediato. Outras duas pessoas, uma menor de 14 e outra de 10 morreram em 2 dias após internação dos 4 feridos que haviam sido levados para o hospital. O site "dogruhaber" tem os detalhes. Assista ao vídeo:



O site alemão lr-online." descreve o PKK como um partido radical que pratica o narco-terrorismo cujo financiamento vem da Alemanha e denuncia:

"O PKK turco já teria atuado também em tráfico de seres humanos do Oriente Médio para a Europa Ocidental, os seus dedos estão no jogo. Além disso, o seu envolvimento em um comércio internacional de drogas é dito. No leste da Turquia vem a heroína do Afeganistão, que foi contrabandeado através do Irã e da Turquia a partir do solo é transportado para a Europa." disseram os jornalistas Jürgen Petzold
e Thomas Seibert.


De acordo ainda com as fontes, o partido PKK gasta cerca de 300 milhões de dólares ao ano em armas, e que seu sustendo vem de inúmeros negócios legalizados na Alemanha, como restaurantes e outras pequenas empresas familiares, que por fim movimentam milhares de euros anualmente.

Potências internacionais tem apoiado o governo turco no combate ao crime organizado local, enquanto que o PKK acusa a Turquia de opressão de cerca de 74 milhões de curdos em terras turcas e prisão de mais de 3000 ativistas que supostamente seriam ativistas do partido não-oficial terrorista, atuando em operações violentas contra civis turcos.

Nota: A luta dos curdos para criar um estado independente na Turquia já dura 27 anos, mas os meios que utilizam, fez com que fossem caracterizados como terroristas pela constituição turca, o que levou a União Européia, as Nações Unidas e os Estados Unidos não reconhecerem o PKK como partido legítimo.


De acordo com todas as fontes citadas acima, o governo da Turquia visa modificar a constituição a fim de ampliar os direitos das minorias étnicas no país. De acordo com o nytimes, os curdos representam a quinta parte da população do país.


No Youtube, há um canal específico chamado "PKKterrorism" que reúne os documentários de todas as ações terroristas e crimes do PKK.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: