segunda-feira, outubro 17, 2011

Síria: Os Canais do Youtube que falsificam notícias para ofuscar massacres.


Uma estratégia de inteligência foi criada para confundir a opinião internacional e semear dúvidas sobre os acontecimentos na Síria de pois de 7 meses de protestos massivos e massacres que levaram a morte de mais de 3600 civis e a prisão de 45 mil inocentes:


Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 17 de Outubro de 2011 - 08h10min.

Foram criados vários canais de notícias que estão despejando uma gigantesca quantidade de vídeos com notícias distorcidas que visam atacar o NATO e as demandas populares nos países árabes.

Os canais descobertos são venezuelanos e publicam notícias em português e em castelaño/espanhol. O objetivo é barrar toda a informação que vem da síria usando um gigantesco fluxo de vídeos recém carregados no youtube em intervalos recordes o outro é criar mudar a opinião pública internacional quanto os acontecimentos na Síria.

"TELESURPT", "TELESURTV" E "CANAL DE ATUALIDAD" estão causando um gigantesco congestionamento no Youtube. Suas notícias deturpadas promovem o caos e protegem as ditaduras e a imagem pessoal do presidente sírio Bashar Al-Assad, enquanto suas tropas continuam nas ruas destruindo tudo e a todos insistentemente dia e noite.

Na imagem ao lado, há uma notícia que diz: "Hillary Clinton reconhece que oposição síria é minoria". 

Esta matéria por exemplo não apresenta o gravado no ato do discurso. Apenas a narração de um jornalista enquanto exibe uma foto de Hillary. Na verdade Hillary Clinton no dia 12 disse que "A revolução árabe veio para proteger as minorias" Disse ainda que "Bahsar Al-Assad não fará falta para a Síria".
Isto ocorreu depois que uma manifestação em Damasco reuniu pelo menos 1Milhão de pessoas vindas de países colaboradores, como Líbano, Iran, Iraque, funcionários do governo sírio descaracterizados e seus parentes numa campanha "pró-Assad".

O canal rurro RTNews, que também é pró-assad é um dos que tem promovido esta imagem perfeita do assassino em série Bsahar Al-Assad:



Apesar de mais de 1 milhão de pessoas serem vistas nas manifestações, cem vezes mais estão acuadas em suas casas, presas em campos de futebol, em subterrâneos, fábricas de cimento, estádios, escolas, cadeias e quartéis para que não possam sair e protestar.

Uma reunião volumosa como esta da oposição jamais acontecerá na Síria, enquanto os tanques e os snipers continuarem a matar a todos os que protestam contra o regime, invadindo e ocupando casas e mesquitas, impondo toque de recolher de mais de 2 horas diárias para impedir que as pessoas saiam para realizar manifestações. Este vídeo foi gravado ontem, 16-10-2011. Uma emboscada foi armada armada para impedir uma manifestação estudantil na cidade do Anjo. 


Líbia

A exemplo dos canais latinos, há canais que pregam as mentiras que confundem os internautas sobre o que realmente acontece na Líbia. Estes canais também publicam notícias falsificadas graves. Kadafi que utiliza civis como escudos humanos, especialmente crianças e mulheres, retira os feridos do escudo e uma equipe de reportagem própria grava denúncias em vídeo dizendo: "A Nato fez isto". "Os Rebeldes fizeram isto", além de outras distorções.

Estes canais "scupecenterTV" e "1VSMRK" funcionam em função exclusiva de Kadafi e suas ideologias são assassinas. Todos estes canais precisam ser blockeados e denunciados por todos os internautas a fim de proteger as milhares de vidas que estão sendo executadas diariamente nas mãos de criminosos cruéis que sem remorso, sacrificam recém-nascidos, crianças, adolescentes, estudantes, mulheres, idosos e trabalhadores em geral.

MUITO CUIDADO PARA NÃO FICAR CONFUSO. ESTA ESTRATÉGIA REALMENTE FUNCIONA! PRECISAMOS ENCONTRAR UMA FORMA DE MOSTRAR ISTO PARA TODOS!

BLOQUEIE ESTES CANAIS PARA PROTEGER A DIGNIDADE HUMANA!

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: