quarta-feira, outubro 26, 2011

Síria e Liga Árabe: 22 mortos no primeiro dia do encontro e muito mais informações.

A Liga Árabe esteve em silêncio durante praticamente os 7 meses de revolta na Síria, tendo mencionado a revolução em apenas 2 eventos. A súbita iniciativa de tomar o controle das negociações entre os dois lados, foi vista como uma saída emergencial para a crise, mas o povo sírio que não acredita nesta relação entre eles e a Liga Árabe, justamente por ser formada por líderes ditadores, espera que façam conforme deve ser feito.

Snapshot - Encontro entre Liga Árabe e Al-Assad.
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 26 de Outubro de 2011 - 17h51min.

O dia na verdade não iniciou. Todos os preparativos e eventos introdutórios para a chegada da Liga Árabe no país começaram à partir de ontem, quando as forças de seguranças apoiadas pelo exército sírio bloqueou dezenas de bairros e pelo menos uma dezena de cidades para impedir que a crise afetasse a boa imagem da Liga com relação ao domínio da situação por parte do presidente Bashar Al-Assad.

Um número gigante de prisões que foram efetuadas de ontem até o dia de hoje, ainda foi marcado por inúmeros combates entre as forças rebeldes e o exército. Em Homs 10 soldados e forças de segurança foram mortos e entre eles um coronel do exército sírio. Eu pude assistir um vídeo onde um guarda "Chibb" morto por dissidentes quando teve a cabeça explodida e mais tarde seu corpo foi arrastado pelas ruas da cidade como troféu, por civis revoltados.

Um dia violento com várias crianças mortas, além de civis e soldados. A mídia fala em duas crianças, mas na minha comunidade no Facebook há pelo menos 3.  Muitos feridos ainda se espalham pela Síria sem conseguir ajuda especializada. O video a seguir mostra uma caminhonete que sua carroceria é usada como ambulância para pelo menos 10 civis feridos ao mesmo tempo. Estas pessoas estavam em manifestações em Homs no bairro de Bayada. Vídeo mostra baixa violência, mas observe que a maioria está ferida por tiros.



Em Aleppo mais confrontos entre manifestantes armados com pedras e atiradores das forças de segurança


A agência de notícias pró-revolução "SNN" disse nesta tarde que soldados do regime estão espalhando folhetos com lista de nomes de ativistas. O folheto avisa que há uma boa recompensa para quer denunciar um ativista. O montante chega a 250 000 em libras sírias.

Ainda enquanto acontecia o primeiro encontro de Bashar Al-Assad e a Liga Árabe de uma série, que visa intermediar a o diálogo entre as partes em conflito, autoridades da  HRW (Organização dos Direitos Humanos) disseram que para que a iniciativa da Liga Árabe tenha sucesso deverá proteger o povo. Para isto deverá inserir monitores civis e independentes. Observadores que façam relatórios sobre o que realmente acontece no país.
 "A Liga Árabe deve pressionar o governo sírio a interromper imediatamente a violência contra manifestantes pacíficos e libertar todos os presos políticos", a Human Rights Watch disse. "Se a iniciativa da Liga Árabe vai ter qualquer chance de sucesso, ele precisa garantir que os civis serão protegidos ", disse Sarah Leah Whitson, diretora do Médio Oriente da Human Rights Watch."
Após a gigantesca comitiva da Liga Árabe ter deixado Damasco,  comitiva esta que representa os 22 líderes árabes que compõem a Liga, deixaram o país dizendo para a rede Al-Arabiya que a conversa foi "franca e amigável".

A "AFP" contou que o "primeiro-ministro do Catar e ministro dos Negócios Estrangeiros Hamad bin Jassim bin Jabr al-Thani", prestou esclarecimentos em uma declaração à imprensa organizado pela agência SANA. Também foi informado que o próximo encontro será no dia 30.

De acordo com a fonte que citou a agência SANA que citou o primeiro-ministro como dizendo:

"Temos visto entusiasmo do governo para trabalhar com o Comité Árabe da Síria para chegar a uma solução"
Esta declaração, como de costume foi citada pela agência do governo. É o que mais acontece na síria. Logo após a saída de uma autoridade, a agência cita palavras supostamente esboçadas pelos visitantes geralmente entusiásticas e encantadoras a respeito do encontro, mas tudo continua nas mesmas condições, sempre.

Coincidentemente, a única fonte de informação  sobre o que pode ter acontecido no encontro entre a Síria e a Liga Árabe provém da SANA, uma vez que inexplicavelmente o site oficial da Liga Árabe está fora-do-ar desde ontem à noite... O que quero dizer é que toda a informação divulgada pelas agências de notícias oficiais foram passadas pela SANA em uma coletiva de imprensa e não houve oportunidade de fala para nenhum membro da Liga. O que nós sabemos é o que Bashar quer que saibamos. É assim que a informação funciona na Síria.

Como muitos podem perceber, se há algum interesse por parte de Bashar Al-Assad nesta condução da Liga, está na inesperada oportunidade de ganhar mais prazo. Desde que o veto da resolução das Nações Unidas foi impetrado que Al-Assad vem buscando ganhar mais tempo. Ceder ao menos por enquanto aos apelos da Liga Árabe, fará com que consiga mais tempo para descobrir e matar os verdadeiros líderes da oposição e enterrar de vez todas as possibilidades de ser retirado do poder e posteriormente ser punido por seus crimes.

A SANA informou que pelo menos 2 milhões de pessoas (na verdade funcionários do governo) foram às ruas gritando "Nós queremos Bashar!" enquanto a SNN disse que o povo sírio saiu à ruas  gritando "Nos queremos enforcar Bashar!" Na madrugada desta Quarta manifestantes sírios foram mais longe ainda...

"We want to destroy Inchilk Bashar"


Video: Manifestantes saem às ruas protestando contra a falsa manifestação pró-bashar. O título do vídeo diz:
"Zofa demonstração gratuita contra a marcha do engano e da mentira 2011/10/26 - Síria - Umayyad"


Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: