segunda-feira, outubro 31, 2011

Síria: Al-Assad ameaça ocidente mas rebeldes controlam Aleppo e Idleb e outras regiões à noite.

Lentamente regiões como Rastan, Homs e Latakya estão sendo controladas pelos dissidentes por mais tempo que as forças pró-Assad. Em especial Idleb e Aleppo que estão completamente fora de controle, como testemunham os sírios que vivem nestas regiões. As manifestações crescem e estão sendo realizadas em tantos lugares ao mesmo tempo que Al-Assad não está encontrando contingente militar para acompanhá-las e ainda sofre com massivas deserções.

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 31 de Outubro de 2011 - 09h00min.
Atualização: 11:12

A pressão internacional contra a síria está começando a ganhar voz e adesão. Agora muitos ex-aliados da síria estão condenando veemente os massacres injustificados e intermitentes contra um povo inocente e indefeso. Massacre este que só tem razão na incapacidade do presidente Al-Assad de exercer a sua própria função.

Video: Mãe e bebê de colo foram atingidos por tiros aleatórios em Homs.


 No relatório de Sábado 29 de outubro de 2011 pela revolução síria pelo menos 20 pessoas foram mortas. 12 deles morreram na cidade de Homs. Segundo ativistas, manifestantes e moradores, o regime sírio "continua a atacar indiscriminadamente as áreas residenciais." - O relatório disse ainda que "várias dezenas de soldados desertaram nas últimas 24 horas" Lembrando que "pelo menos 335 pessoas foram mortas durante as últimas 2 semanas", o que fez a "o comitê ministerial da Liga Árabe emitir um apelo urgente para o regime para parar de matar civis.

Notícia importante pelo site árabe "Aawsat" de que ontem o regime sírio cedeu para que 4 agências de notícias estrangeiras tenham acesso aos acontecimentos dentro do país. Até agora a SANA, agência de notícias estatal (praticamente particular de Assad) era a única fonte de informação oficial. Somente ela cobria os encontros políticos e eventos oficiais do regime. Muitas destas informações eram publicadas com distorções. O Aawsat citou algumas das agências contactadas pelo regime de Assad: "The Sunday Telegraph", "The Independent", Whashington Post" além de uma agência russa.

 Enquanto o povo sírio pede o enforcamento de Assad, a comunidade pede o fim do massacre, a Liga Árabe pede o início do diálogo, Assad pede mais tempo. O regime do clã Assad precisa de mais tempo para continuar fazendo as mesmas coisas que vem fazendo desde 1982 até hoje. Matar civis enquanto transfere dinheiro para o exterior. Poucos sabem que Al-Assad já desviou mais de 16 milhões de dólares para exterior nos últimos anos. Ele está vendendo seus bens e imóveis fora da Síria e sugando todos os recursos das empresas sob o controle da família.

 O presidente Sírio Bashar Al-Assad alertou para qualquer tentativa de incursão militar ocidental em seu país dizendo: "A síria hoje é a linha divisória do Oriente Médio. Qualquer intervenção estrangeira vai incendiar a região."

De Iskenderun ao Escudo sem controle
do regime à noite.
 Já o site Aawsat disse que o chefe do Observatório Sírio para os Direitos Humanos Rami Abdul Rahman sediado na Grã-Bretanha disse que há vários pontos na Síria que o regime não tem controle à noite. A fonte disse que de Iskenderun até a região do Escudo, as manifestações acontecem massivamente e as forças de segurança não conseguem mais impedir. Segundo a fonte o líder do Observatório teria dito, em outras palavras que: "se o regime sírio não consegue controlar a revolta em seu país, como conseguirá desafiar e lutar contra o ocidente, contratando o Iran e o Hesbollah?"

 Sentindo-se protegido pela comunidade árabe, Al-Assad encontra forças para desafiar as leis internacionais, tratados e protocolos. Enquanto se sente mimado por grandes potências como Rússia e China, o sucessor do ditador Hafez Assad, busca dar continuidade aos mesmos crimes financeiros e massacres bárbaros que aprendeu como fiel discípulo de seu pai, apoiado pelo partido mais sangrento que o mundo árabe tem notícias: o Ba'ath.

 Mas em muitas cidades da Síria seções regionais do partido Ba'ath encontraram dissoluções, levando centenas de membros para o lado dos manifestantes, desde o mês de Abril deste ano. Em comemoração a estes acontecimentos, uma página no Facebook foi criada recentemente chamada "Renuncie ao Partido Ba'ath".

Ba'ath nas escolas


 Poucos sabem que este partido do mal controla o ensino público do básico ao universitário. O métodos de ensino são medievais, inclusive as punições em salas de aula são as mesmas que os manifestantes sofrem hoje com o exército sírio, o Hesbollah e a Guarda Republicana do Iran.




 Tudo isto já mostrei aqui mas nunca é suficiente divulgar estas violências ridículas promovidas pelo partido que também inferniza a vida do povo iraquiano e era o partido oficial no poder durante a era Saddam Russein, do qual ele mesmo era membro.

Leia este lindo relatório da Coordenação da Revolução Pacífica na cidade de Douma, na Síria.


Relatório da Coordenação Douma quarta-feira outubro 19, 2011

Manifestações:

 Hoje, o diretor da região de Douma, o Secretário da Liga da Juventude, e o secretário do partido Baath foi para o Al-Muhaddath (Modernizado) da escola dos meninos na cidade de Duma para convencer aos alunos que, por sua própria segurança eles não devem participar nas manifestações, e dizer-lhes que eles ainda são jovens demais para assuntos políticos.

 Um aluno interrompeu seu discurso ensaiado dizendo: "Nós viemos para a escola diariamente para protestar e fazendo assim é que defendemos os direitos dos nossos irmãos e amigos que foram mortos ou presos pelo regime, sem razão. O futuro é nosso e vamos decidir sobre isso [sobre o que é adequado para nós]. "Isso foi seguido por estudantes levantando-se e recusar-se a continuar a ouvir a voz dos funcionários, toda a escola estava cheia de gritos de" Deus é maior [do que o opressor] ", e assim a delegação deixou a escola.

 Depois da escola, uma demonstração que começou a partir de Al-Hurriya (Liberdade) das meninas e dos meninos da escola. Moradores fizeram barreiras para conter o movimento dos veículos do exército e Shabihas (gangues patrocinadas pelo regime).

 Hoje, todas as escolas da Al-Shifouniya e Al-Rihan foram fechadas, professores e alunos foram mandados de volta para casa.  Além disso, depois das orações da noite, uma manifestação reuniu das mesquitas de Hawwa, Al-Fawwal e Hasiba, que apesar do cerco das forças de segurança, as patrulhas do exército, e Shabihas (gangues patrocinadas pelo regime) nas ruas. A manifestação se aglomerou em Al-hajjariya e foi transmitida ao vivo. Os manifestantes, em seguida, entravam, e pela 1 ª vez, em Al-Street-Makaser perto da auto-estrada, indo para a casa da família do herói e mártir Aladdin Adnan Al-Daas, perto da mesquita de Abdul-Rauf. O martírio de Al-Daas foi anunciada a partir de hoje as mesquitas da cidade de Duma, o mártir foi morto em Homs." 

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: