domingo, outubro 09, 2011

Mundo pede boicote aos produtos chineses e de países que apóiam crimes contra direitos humanos

O crescimento súbito da China está ligeiramente ligado à exploração de trabalho escravo e à pirataria de produtos industrializados originários de todo o mundo. Em consequência o comércio aleatório e irresponsável de armas de guerra de todos os tamanhos por preços ridículos. Em resposta, ativistas do mundo inteiro pedem o boicote a todos os produtos "made in china".

Denúncia de fábrica chinesa onde trabalhadores ganham US$ 114/mês.
Cortesia: "kendallight"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 09 de Outubro de 2011 - 07h01min.

Buscando conquistar o mundo em grande velocidade, o ambicioso regime chinês explodiu pelo mundo espalhando sua cultura nazista de forma disfarçada e cínica. Quebrando todas regras, o país tem procurado se passar por uma ditadura democrática em constante transformação a fim de melhor as condições de vida de seu povo e do mundo, mas na prática a história é bem diferente.


O Advogado Jiang Tianyong esteve preso por 2 meses sem que houvesse respaldo legal para tal. Revoltado ele decidiu enfrentar os perigos tentar expor a podridão oculta por detrás da propaganda chinesa de país modernizado. Jiang que é morador de Pequim, tornou-se um ativista que busca mostrar para o mundo as práticas de torturas e desrespeito aos direitos humanos nas prisões do país, como testemunha ocular.

Ele conta que durante 2 meses de prisão, não viu a luz do sol. Preso em 19 de Fevereiro esteve isolado de qualquer comunicação ou informação até 19 de Abril, quando foi liberado. Em seu relato, Jiang disse que o motivo de sua prisão é "inexplicável" e ainda assim, foi severamente espancado, ameaçado e privado de sono por 5 dias. Ele contou que passou pelo programa "Educação Resgate" que visa formatar por meios de torturas, o indivíduo de acordo com as regras do regime.

"É um tipo de lavagem cerebral em que os interrogadores repetidamente "educados" Jiang, e fê-lo arrepender-se o seu assim chamado "erros" - Disse ainda: "Eu sinto que a dor física era indescritível, mas a tortura mental foi pior . Sob essa condição fechada, não recebi nenhuma informação de fora, e fui colocado em um lugar, sendo forçado a aceitar o que diziam. Meus pensamentos e espírito foram cortados até a morte, pouco a pouco. "
Cansado de tanta opressão, Jiang decidiu "expor o regime comunista chinês" e disse:
"Primeiramente, eu sinto que devo tornar isto público, porque isso já aconteceu [O regime] precisa entender que uma vez que eles já fizeram isso, vai ser tornado público. Se eles não querem que as pessoas saibam, então pare de fazer coisas como estas. E continuou: Em segundo lugar, sinto que preciso romper esse medo, o medo deve ser quebrado através disto.
Jiang exibe sua carteira: "Ordem dos Advogados não renovou
seu direito e exercer a profissão após jornada de denúncias."
Fonte: "thestar"

O testemunho de Jiang foi divulgado pelo canal "NTD television" disse que Jiang Tianyong tornou-se advogado em direitos humanos e ativista que ajuda vítimas de HIV e do trabalho escravo. O advogado está sob completa vigilância pelo serviço secreto chinês e luta para transformar prisões extrajudiciais em crime por meio de uma proposta de emenda à lei penal chinesa, disse a fonte.

Status Global

Membro da Organização dos Direitos Humanos das Nações Unidas, a China é um dos países mais bárbaros que compõem o Conselho de Segurança da ONU. Isolados do resto do mundo, mais de 80% dos chineses vivem em padrão sub-humano. Leis severas e antigas com bases nas regras que datam mais de 50 que bloqueam a liberdade de expressão, direito a manifestação pública, reunião pública, entre milhares de proibições que eram praticadas na segunda guerra mundial ainda vigoram no país que se mostra moderno e atualizado pelo lindo visual de Honkong e Pequim.

Uma China cheia de cores é a obra de "Spreng Ben" - Cortesia.
Meios de comunicação e internet são vigiados e manipulados, tem a exibição de seus conteúdos controlados de acordo com os interesses do regime chinês. Imagens feias e retratos da realidade do país são censuradas inevitávelmente. A China se mantém trancada num cofre forte enquanto desvenda os segredos de seus vizinhos. 

"Há quem acredite que o site noticioso Beijing Times e o jornal Beijing News foram retomadas pelo departamento de propaganda de Pequim, disse o "LinkAsia".

Corrida armamentista

Um canal do youtube feito por chineses americanizados discute o crescimento do país, analisando a crescente corrida armamentista. Em seus documentários, discute se não há perigo nesta busca doentia por armas de todos os portes, fazendo a seguinte pergunta:
"Fortalecimento militar da China: Ataque ou Defesa?"
Quem responde é o analista militar "Phillip Saunders":


Por esta e muitas outras razões um número cada vez maior de ativistas e dissidentes estão pedindo o boicote dos produtos chineses e a expulsão do país dos Direitos Humanos das Nações Unidas.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: