sábado, outubro 01, 2011

China e Rússia reaquecem mercado de armas para repressão de manifestações pacíficas.

A China e a Rússia estão superando a crise mundial aquecendo o mercado de armas numa época em que todos estavam desistindo de guerrear. Para superar a crise, saíram em busca de novos mercados, especialmente os países comunistas e socialistas. O que torna um perigo à paz internacional alfinetada pelos massacres de civis em repressão às demandas populares nos países árabes.
Versões chinesas da AK47 - Cortesia by "akfiles"


Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 01 de Outubro de 2011 - 05h53min.

Ficção - Em 2004 escrevi um livro não publicado ainda chamado "O Subuniverso". Esta ficção conta que em 2035 a China assumiria a liderança econômica do mundo e tentaria unificar o planeta com a cultura comunista trazendo de volta uma era similar ao período Hittler. A ficção parece não estar tão errada. Ela conta que em 2048 aconteceria a terceira e última guerra mundial liderada pela China em busca de água o Brasil seria seu principal alvo.

Armas russas  - Cortesia by "akfiles"
Realidade - Logo no início de 2011, os Estados Unidos da América anunciaram que seus estrategistas estão prevendo uma guerra mundial em 2035 por recursos naturais, principalmente a água. Logo em seguida os levantes populares foram alimentados pela crise econômica internacional e o desejo de liberdade de expressão, direitos humanos e o fim das ditaduras.

Sentindo-se ameaçadas as ditaduras inciaram uma corrida armamentista para enfrentar nada mais, nada menos que: O POVO e em consequência, os Conselhos de Segurança.

Silenciosamente a população chinesa busca meios de dar fim ao regime de fome e miséria que os torna cativos há mais de 3000 anos, seguidos pelos iranianos, venezuelanos, cubanos, sauditas e por aí vai...

América Latina

Nesta semana a Venezuela iniciou uma grande movimentação de tropas, sem que ninguém tivesse noção do que se tratava. A maioria das pessoas acreditam que estavam indo apoiar Cuba de Fidel contra levante popular que eclodiu nesta semana.


Grande movimento de tropas venezuelanas flagrados na
Na última quinta-feira na estrada de Guaira - (Enviada pelo Twitter).
Vivendo cada vez mais perto dos países de língua hispânica, incluindo o México, a China tem buscado, na última década, armar e fortalecer países onde a guerra era simplesmente artesanal.

Em crescente desenvolvimento mundial, os protestos populares vão ganhando vulto assombroso. Maior até do que esperado, dado a simultaneidade dos acontecimentos, o que tende a aprofundar a crise mundial e enfraquecer financeiramente as organizações de ajuda humanitária. Cuba enfrenta denúncias de repressão aos manifestantes pacíficos com uso de força militar:


Liderada pela maioria do sexo feminino, que na verdade tem sido a maioria populacional em todo o mundo, as manifestações pacíficas ganham respostas sangrentas e espalham terror por todos os veículos de comunicação.

No Brasil, diferente dos outros países, o domínio feminino é incentivado pelo própria presidente da república Dilma Roussef, que assumiu o governo com o slogan: "Mais mulheres no poder". Dilma que ainda está na esteira de seu grande privilégio de ter sido a primeira mulher da história a abrir uma Convenção Geral das Nações Unidas, tem substituído sistemáticamente os ministros de seu governo por mulheres, enquanto busca em Barack Obama, ajuda para derrubar o siclo vicioso da corrupção no país.

Ao mesmo tempo, Rio de Janeiro e São Paulo saem às ruas em sequênciais manifestações pacíficas de grande porte, sendo esperado  uma grande manifestação nacional contra a corrupção política e judiciária em 12 de Outubro 2011. Estes eventos têm sido contemplados com a ausência (quase que completa) de aparato militar de batalhões de choque e principalmente do exército, e terminando sem ocorrências.

Uma lição para todo o mundo, principalmente para o governo da Síria e para os manifestantes britânicos.

São os novos tempos do mundo. Mudanças naturais que são consequências do amadurecimento da humanidade, mas a Rússia e a China não vão permitir que seus lucros sejam prejudicados com este amadurecimento, até que eles mesmos sofram seus levantes populares. Mas isto é inevitável. Ninguém conseguirá impedir por muito tempo, ou o mundo entrará em colápso pelo excesso de corrupção e exploração acelerada de seus recursos naturais. Só mesmo as mulheres para pôr ordem na casa, e isto elas sabem fazer muito bem.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: