segunda-feira, setembro 19, 2011

Síria: 12 mortos nesta Segunda em caçada aos manifestantes.

O presidente sírio Bashar Al-Assad é um homem impetuoso, impiedoso e iníquo. Toda a sua fúria tem sido concentrada na população que tem sofrido barbaridades em se tratando de torturas e mortes lentas. Enquanto o socorro internacional não vem os manifestantes doam seu último fôlego de vida para gritar pelo fim deste regime de sangue.

Vídeo: manifestantes conduziram o velório de Zaynab de 19 anos, morta brutalmente pelos terroristas do governo sírio.


Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 19 de Setembro de 2011 - 21h50min.

Esta Segunda-feira teve um clamor especial. Os sírios apelidaram de: "Segunda-feira da Raiva por Zaynab", o que levou à morte mais 12 manifestantes.

Zaynab era uma jovem de 19 anos. Ela era irmã de um jovem ativista e ambos moravam com a família na cidade síria de Homs.

Ato de vingança

De acordo com um relatório da agência de notícias síria SNN, o serviço secreto estava monitorando a casa de uma família porque procurava um jovem que era ativista dos direitos humanos. Apesar de grande esforço, não conseguiu encontrar o rapaz nem obter nenhuma informação a respeito do seu paradeiro.


Testemunhas contaram hoje que no dia 26 de Julho deste ano um grupo de forças de segurança e Shabihas sequestraram a jovem menina (porque na síria até 20 anos são chamados de crianças) Zaynab Al Hosni de 19 anos na frente da porta de sua casa no bairro de Bab Siba.

Logo após as forças de segurança deixarem o local, a família começou a buscar informações para saber o paradeiro de Zaynab. Acidentalmente a família do ativista mártir Mohammad Al-Hosni estava fazendo um procedimento para a retirada do seu corpo do hospital militar. Neste momento, um funcionário do hospital informou que outra pessoa da família poderia estar alí, numa geladeira do necrotério do hospital.

Logo a família correu para o hospital militar no dia 15/9/2011 para identificar o corpo e infelizmente constataram que se tratava de Zaynab. 

Eles descobriram então que seu rosto estava completamente desfigurado e suas mãos e pés haviam sido amputados. O corpo de Zaynab havia sido deixado no hospital naquelas condições pelas forças de segurança de Homs. 

De acordo com fontes da Revolução Síria "a administração do hospital não aceitou a entregar o corpo para sua família até sábado 17 de Setembro de 2011. Seu funeral foi realizado em Abdul-Rahman Bin Aouf na mesquita de Bab Siba, onde ela foi enterrada. Os pais de Zaynab estão em estado de choque com a gravidade do crime" e os manifestantes de Homs juraram "avançar até a vitória e para processar esses criminosos."


Video gravado na sexta-feira (19-09) num pequeno protesto em Damasco lembrando Zaynab.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: