quinta-feira, setembro 22, 2011

ALERTA: O número oficial de mortos na Síria é acima de 5300 civis .

Cerca de 60 pesquisadores de direitos humanos fizeram uma verificação criteriosa de uma lista de 3.004 nomes de pessoas informadas como mortas em pelo menos 127 localidades da Síria desde as primeiras mortes, no início dos protestos em Março até o dia 09 de Setembro. Havia um adicional de 2.356 nomes listados como mortos mas não-verificados de acordo com o relatório.

ONG Avaaz na busca pelos sírios desaparecidos
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 22 de Setembro de 2011 - 14h59min.

De acordo com os protocolos internacionais, todas as mortes relacionadas tiveram as três informações exigidas para que sejam validadas pelas autoridades internacionais para o reconhecimento das mortes é que para cada morto haja reconhecimento por:

  1. Pelo menos por 1 membro da família
  2. Por amigos, vizinhos e líderes comunitários
  3. Funcionários ou membros de mesquitas.


As leis internacionais determinam que é obrigação do Estado que todos os casos de óbitos sejam:
  1. Prontamente registrados, 
  2. Corretamente identificados
  3. Publicamente reconhecidos.

Mas o governo sírio mantém um pacote de informações que representam quase 1/2 do número de mortos anunciados pela ONU, ao passo que o novo relatório representa o dobro do número de mártires anunciados pelo alto comissariado das Nações Unidas em 12 de Setembro 2011.

OBS: Um número grande de casos as vítimas são transladadas as vezes com vida e executadas em regiões onde não há como cumprir as exigências internacionais. Há os que são informados apenas como desaparecidos, sem falar nos presos que depois de mortos são cremados pelas próprias forças sírias.

O que é definitivo é que o número de mortos cujas informações alcançaram as exigências dos direitos humanos e internacionais é de 5.360. Mas de acordo com o site "irinnews" citando o diretor da Avaaz como dizendo:

"Sabíamos que os números oficiais estavam muito abaixo ", "Os 3.004 nomes foram verificados, ao mesmo tempo e sabemos que 2.356 pessoas adicionais estão definitivamente mortos, mas não temos sido capazes de verificar os seus nomes sob os nossos critérios rigorosos."

Enquanto todos os dias morre um número considerável de civis, o governo sírio só reconhece 1400 vítimas desde o início dos conflitos que ele descreve como "vítimas de gangues armadas". No vídeo a seguir, um Shabiha que desertou gravou seu depoimento que está legendado em inglês:


Outro vídeo importante é este que comprova a existência de membros do Hezbolah dentro das forças sírias.


Ainda há um número não-verificado de mortos que inclui 308 nomes de civis, 674 militares e outros 1374 nomes informados como mortos que nunca foram encontrados.

De acordo com o "irinnews", estes dados foram reunidos por 37 grupos de direitos humanos que lançaram a "Carta de Reconhecimento de Cada Vítima de Violência Armada" no dia 15 de Setembro  passado. A Carta foi apresentada oficialmente pela diretora-executiva adjunta do Centro de Direito Humanitário da Sérvia, Sandra Orlovic.

Fonte: Com base nas informações divulgadas pelo site "irinnews" que trata divulga as estatísticas e relatórios a serviço dos direitos humanos da ONU, desenvolvemos este texto para melhor compreensão da brutal realidade síria nos dias de hoje.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: