segunda-feira, setembro 26, 2011

ALERTA: Estupros e raptos de mulheres por toda a Síria.

Desde a semana passada, o regime sírio passou a matar menos e a atacar mais as mulheres e estudantes.
Um alarmante número de estupros e sequestros têm se repetido desde que a morte de Zaynab (19) foi divulgada para as autoridades internacionais.

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 26 de Setembro de 2011 -15h26min.

Homs e Rastan estão sofrendo uma pesada campanha de punição gratuita desde o início desta Segunda-feira. A cidade de Rastan tem estado sob pesado ataque militar. Alerta para o uso de aeronaves e mais de 60 tanques em violento bombardeio às residências. prisões em massa e mais genocídio.

Em Homs o número de mulheres sequestradas e estupradas é alarmante. A maioria dos sequestros têm acontecido durante as manifestações. De acordo com testemunhas oculares, carros que a serviço do regime de Al-Assad passam pelas manifestações e seus ocupantes iniciam uma caçada às mulheres.

Hoje pela manhã uma tentativa de sequestro a mulheres manifestantes foi frustrada, quando passavam perto do prédio administrativo da empresa ABC.

Ainda em Homs uma grande batalha tem sido travada desde ontem à noite entre as forças pro-Assad e soldados dissidentes que têm desertado em grande número.  Por maio da página da revolução publicada em inglês, foi informado à pouco que a cidade de Homs esteve sob intenso bombardeio por tanquers durante toda a noite de3 Domingto para Segunda. Testemunhas oculares tem informado um violento combate entre as tropas leais a Assad e Dissidentes.

Em Homs a perseguição tornou-se voltada ainda mais para as famílias. Há muitos relatos de que numa única casa a incidência de várias mortes e desaparecimento de de pessoas de todas as idades, a exemplo da jovem Abeer Cherbotli, 25 e seus dois filhos, Haitham Atfeh, 5 anos e Mohammad Atfeh de 3 anos.


Que desapareceu segundo ativistas dos direitos humanos quando ia ao hospital em "Bab Al Sba" para buscar resultado de exames.

A batalha nas ruas se repete na internet, onde a Aljazeera arábica informou que sítes do governo sírio nas 7 maiores cidades da Síria foram atacados por hackers ativistas, os grupos de Hackers internacionais conhecidos como "Anonymous" e "Revolusec". De acordo com a agência, sites do ministérios dos transportes e ministério da Cultura foram alguns dos alvos da cyberwar.

Violentas campanhas de opressão militar, destacando todas as formas de crimes possíveis cometidos contra a população tem sido registradas nas principais cidades onde as maiores e mais violêntas ocorrências têm sido informadas em Homs, Rastan, Hama e Idleb, até o momento.

As organizações oficiais de Direitos Humanos da Síria tem pedido ajuda para que estes crimes sejam informados às autoridades internacionais.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: