terça-feira, agosto 30, 2011

Síria: Rússia e União Européia fazem pressão pelo fim da violência.

A pressão sobre o governo sírio vem de todos os lados. Nesta Terça-feira a Russia enviou seu mensageiro para  Damasco a fim de pedir o fim da violência no país. De acordo com o site Nokiagate que citou uma fonte diplomática com que dizendo que Mikhail Bogdanov, vice ministro do Exterior teria sido enviado para falar com Al-Assad diretamente e com a oposição.

Manifestantes sírios em frente à embaixada síria em Cairo
Cortesia: "
Maggie Osama"
Por Saulo Valley -Rio de Janeiro, 30 de Agosto de 2011 - 20h16min.
Atualização: 22h29min.

A delegação russa entregou nas mãos de Bashar Al-Assad a carta do presidente Dimitry Medvedev, que com base na informação do site exortava para:

"...a necessidade de cessação imediata e completa de violência por qualquer das partes, e para dar passos concretos para alcançar as reformas anunciadas pela liderança síria com urgência." 
 Já o site "maqroo2" disse que o Deputado sírio Falhaut Saber foi à "Rádio Sawa" para dizer que a síria recebeu grande demonstração de apoio da Rússia dizendo:


"o oficial russo chegou ao levantamento da situação após o que chamou de campanha "confusão e desinformação contra a Síria e o processo de reforma."

Segundo o site, o Deputado teria dito que "o oficial russo "chegou a ouvir a opinião da Síria e ver as coisas como são, de fato". Ele ainda teria descrito a posição da Rússia como:

"uma posição como um amigo e uma lógica e objetiva demostração de sua opinião, dos eventos que ocorrem na região árabe em geral e especialmente na Síria."
Ainda a "SANA" agência de notícias da Síria citou o presidente sírio Bashar Al-Assad como descrevendo a preocupação do amigo Dimitri Medvedev como "equilibrada".

No momento em que escrevia estas linhas recebi um vídeo violento mas que esclarece todo o processo de reforma sendo implementada na síria. Foi gravado no dia 06 de Maio em Homs (estas imagens são muito fortes. Só estão aqui porque este massacre precisa ter fim!):


Neste meio-tempo a União Européia emitiu sua declaração sobre a situação dos Direitos Humanos na Síria. O porta-voz da alto representante da UE para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança falou sobre a agravamento da situação no país com relação aos Direitos Humanos.

O comunicado foi emitido nesta Terça:

O comunicado demonstrava a preocupação contínua sobre o aprofundamento da violência praticada pelo "regime sírio contra manifestantes pacíficos, ativistas de direitos humanos, e o povo sírio em grande porte."

Para esta situação, a Porta-voz disse que "renova sua condenação inequívoca da repressão brutal."

Ela destacou o caso do cartunista Ali Farzat que após ter sido sequestrado foi brutalmente agredido pelas forças de segurança "por ter expressado seus pontos de vista". Ele teve suas mãos quebradas e foi internado em estado grave. dois dias. Ontem precisou se submeter a uma cirurgia de emergência com o agravamento de seu estado de saúde. 

Nota: Uma fonte da família do cartunista me escreveu um e-mail há 2 dias dizendo:

 "Não fizemos nada. Eles é que desenharam e nos acusaram. Juro que não fizemos nada de errado!"

A Porta-voz disse que o caso de Ali Farzat "é apenas um exemplo de violações generalizadas dos direitos humanos".

Obs: Outra observação é que outro Farzat está desparecido: o Dr. Mahmoud Farzat que é industrial e um dos grandes compradores de soja do Brasil.

Ela continuou alertando que "muitos outros ativistas, independentes e defensores dos direitos humanos foram submetidos a atos de barbárie e similares desrespeito pelos direitos humanos, incluindo a alegados casos de tortura." Foi o caso do ativista Ghaleb Amer, denunciado pelo grupo internacional de ativistas de direitos humanos "BlogHumans".

Ashton não se esqueceu de citar que ainda "milhares de pessoas continuam em detenção sem acusações." esclarecendo que "a repressão não se limita aos ativistas".

Ela lembrou o ataque a mesquitas e a fiéis citando o exemplo do violento ataque à mesquita de Al-
Rifai localizada no bairro de Kfar Sousseh em Damasco no sábado 27 de agosto. Lembrando que aquela era  a hora mais sagrada do Ramadan.

Vídeo que chegou enquanto eu escrevia ainda esta matéria: Forças de segurança invadem a mesquita de Al-Rifai destruindo os móveis e lançando bombas de gás lacrimogênio nos fiéis.


Por fim deixou o alerta pelo fim da: 

"...violência indiscriminada por parte da segurança da Síria. Todos esses ataques e a repressão ampla deveparar imediatamente, os manifestantes detidos sejam libertados e que haja um caminho aberto para o cumprimento das legítimas aspirações do povo sírio." - http://www.consilium.europa.eu.pdf
Pressão internacional, pressão popular e agora cresce a pressão militar:

Hoje foi um dia de acontecimentos importantes para o desenrolar para o fim deste episódio catastrófico. Espera-se que à curto-médio prazo. O Oficial de marinha Coronel Malik Abdul Halim anunciou nesta terça sua deserção das forças armadas para juntar-se aos manifestantes. Este é uma testemunha viva dos ataques marítimos a Latakya:


Novas deserções foram notadas desde o bombardeio em Latakya e o ataque ao acampamento palestino de Al-Riad. Desta vez pelo menos 1/3 dos militares da 4ª Divisão comandada pelo sanguinário Maher Al-Assad demitiu-se do exército sírio indo juntar-se ao exército livre que é formado por dissidentes. Entre eles o General Brigadeiro Fayez Aslan.

Desfarçado em Homs.

O jornalista alemão Wolfgang Bauer viajou por conta própria para a Síria de forma discreta e secretamente.  Lá ele se misturou aos manifestantes, sendo recebido em suas casas. Portando apenas um notebook ele cruzou os limites do perigo para descobrir a verdade sobre a Síria e a famosa revolução.

Ele foi recebido em uma casa que originou uma detalhada narração de um dia vivido por uma família síria. Para saber como ele vivenciou todo este pesadelo acesse: http://www.zeit.de/2011/35/DOS-Syrien/seite-1

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: