sábado, agosto 20, 2011

Síria: 19 manifestantes mortos, uma campanha arrasadora, bombardeios e prisões.

Os número da sexta-feira são muitos. 19 mortos com vítimas a partir de 3 anos de idade até 39.

Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 20 de Agosto de 2011 - 09h05min.

Algumas centenas de prisões, explosões e invasões de residências. Greve comerciária em Homs pela população. A síria alega que grupos armados obrigaram os comerciantes a fechar as portas.

Em Hula "Cbihh" (que fazem parte das forças de segurança de Assad) tem atacado pessoas importantes da seita Alawite, como o exemplo do Dr. Nazim Ibrahim.

A grande massa sabe que é uma tentativa de criar um confronto entre as tribos, mas tem noticiado uma grande barbaridade acontecendo na região desde ontem. 1 jovem foi morto e mais 7 pessoas feridas. Em Homs a tentativa de criar uma luta sectária não deu certo porque as tribos já esperavam que Assad tentasse fazer a mesma coisa que seu pai fez em 1982. De acordo com a Revolução da Síria, ele está tentando achar um ponto fraco na relação das tribos para produzir uma guerra.

Falando em guerra:

As forças de Assad tem feito muitos comentários sobre os confrontos que acontecem em Gaza. Eles atribuem aos mesmos grupos terroristas os confrontos entre governo e oposição popular em toda a Síria. Com base nesta informação, os soldados tem atacado com grande fúria as cidades mais próximas das fronteiras. Um grande destacamento militar tem se dirigido para a Ponte Vaga nas últimas horas para combater os terroristas. Estes terroristas estão enfrentando toque de recolher nos principais redutos da revolução. Em Aleppo as forças de segurança estão utilizando mapas da região. A áreas onde há acusação de abrigar terroristas estão sendo marcadas com um círculo vermelho.

No fim da madrugada deste Sábado, as forças de segurança percorreram as ruas para anunciar por alto-falantes que as pessoas deveriam prender uma toalha branca ou um pano branco no lado de fora para sinalizar que estão à favor do governo. Mas os manifestantes acreditam que a estratégia pode ser invertida na mídia como sendo um confissão de envolvimento com o terrorismo.

Dissidentes

Em Latakya também houve uma grande rebelião no seio do exército. O pesado confronto ganhou destaque pelo grande número de explosões que testemunhas disseram que podiam estremecer a terra.

Como já foi noticiado aqui, fontes locais haviam informado a prisão de pelo menos 22 mil soldados dissidentes. De acordo com a fonte, os soldados foram todos transferidos para o presídio em "Palmyra".

Nesta madrugada outras fontes locais informaram uma grande campanha de execussão de dissidentes no complexo penitenciário de palmyra. Esta informação veio de encontro ao boato que corria de que os dissidentes estavam, se organizando para formar a primeira brigada rebelde com apoio financeiro de pequenos empresários locais, que estavam reunindo tudo o que podiam para patrocinar a criação desta base militar anti-governista.

Refugiados

A ONU anunciou ontem ter encontrado cerca de 6000 refugiados palestinos dos 7500 que fugiram da violenta perseguição por parte das autoridades sírias. De acordo com a ONU em seu site oficial, os refugiados encontrados estavam em "péssimas condições".


Produzindo material publicitário em grande quantidade com lançamento oficial previsto para 29 de Agosto, Al-Assad pretende sobrepujar o volume de informação que a revolução conseguiu espalhar na internet nestes quase 6 meses de levante. Em seu canal no youtube, vídeos produzidos por sua equipe cinematográfica apresentam os refugiados palestinos como principais atravessadores de drogas e armas da Turquia para a Síria. Estes vídeos só seriam convincentes se não houvessem os "making-off" já disponibilizados da internet.

É o caso do vídeo a seguir que foi adquirido pela rede de notícias Alarabiya por 15 Mil Libras que foi gravado no momento em que as forças de segurança montavam a cena para produzir o vídeo mostrado no canal acima.


Nas universidades há inúmeros relatos do desaparecimento de estudantes que se negaram a participar das passeatas pró-Assad em Maio. Segundo relatos de estudantes da Univesidade de Aleppo nas áreas de engenharia, informática e administração, centenas de estudantes foram presos e foram soltos dias ou semanas depois. Mas há informação de que 80 destes alunos não voltaram para casa até os dias de hoje.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: