quarta-feira, agosto 31, 2011

Regime de Assad está se fragmentando e se lavando no sangue do povo sírio.

Um derramamento de sangue inocente que só seria desnecessário se não fosse prazeroso para quem ainda detém o poder em suas mãos. Al-Assad tem consciência de que nenhum de seus crimes ora encobertos permanecerão ocultos. Agora as areias do tempo estão terminando de completar o siclo.

Cortesia: "Kat"
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro - 31 de Agosto de 2011 - 17h48min.

Fontes que não podem ser revelados por motivos de segurança mas que estão dentro das empresas de segurança síria disseram que a começar de baixo, as empresas que fornecem os "Shabihhas"  (seguranças uniformizados sem porte de arma letal) já estariam atrasando os pagamentos porque Al-Assad não tem repassado os valores negociados nos prazos combinados. De acordo com a fonte eles estariam discutindo a possibilidade de uma paralisação. Isto mesmo: "Greve".

A mesma fonte que citou um coordenador de distribuição de Shabihas em Latakya disse que muitos deles já abandonaram o serviço na região após ficarem sem receber em vários vencimentos.

A fonte revelou que cada funcionário, desde o início da repressão às passeatas, recebe diárias de SYR 2.000,00 Libras sírias cerca de (42 dólares atualmente) mas nos dias mais intensos como a sexta-feira, alguns são incentivados com melhores ganhos podendo chegar a SYR 10.000,00 Libras sírias (US$ 210) para intensificar os esforços contra os manifestantes.

Isto confirma a estratégia relatada no documento do governo que foi divulgado aqui. 

As fontes agora dizem que as empresas que patrocinavam os Shabihas deixaram de enviar recursos desde a semana passada. O que está provocando protestos entre os funcionários. Segundo a fonte, os valores distribuídos nas sexta-feiras estão diminuindo drásticamente chegando aos mesmos 2.000,00 dos dias comuns.

Divisões têm marcado as fileiras do exército e da marinha e governo.

Hoje foi anunciada a demissão do Secretário Geral do Governo.




Há indícios ainda não confirmados de profundos rachas no meio político que controla as forças armadas. Um dos ministros da Defesa foi citado e um diretor de segurança política, além de alguns  gerentes das sucursais como tendo abandonado seus cargos.


Mas desde a transferência do comando do exército para a região montanhosa de Latakya é que há violentos embates dentro do exército. A mesma fonte disse que há conflitos entre a unidade anti-terrorismo e os líderes do exército numa possível disputa pelo controle do leste. Lembrando que esta informação precisa ser confirmada e mais detalhada com nomes e novas descrições. 


Hoje mais um triste vídeo surgiu demonstrando que todos os militares dissidentes são executados pelas costas, como também está escrito na "Cartilha da Opressão e da Tirania"escrita por Al-Assad e publicada aqui ontem:

"Não há nenhum problema em matar algumas unidades e oficiais da exército, já que esta é útil para aumentar a animosidade do exército para os manifestantes."  A seguir cenas de sangue e mortandade:

Por falar em mortandade, na região de Hula há 3 dias não para de aparecer corpos brutalmente feridos com variedade tiros de diversos calibres pesados. A última vítima parece ter morrido lentamente enquanto era alvejada por armas de grosso calibre em partes não letais do corpo.

Pela primeira vez foi relatado que um número de soldados que haviam bloqueado uma importante avenida com uma parede humana para impedir a progressão da manifestação, iniciou uma disputa para ver quem gritava mais alto as suas canções. Se eles ou os manifestantes de Angel que se arriscaram ao desafiar o grupo fortemente armado:

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: