sábado, junho 04, 2011

UNICEF exorta à Síria que investigue massacre de crianças

Hagar - Fonte da imagem: facebook
O número de crianças e menores de 18 anos mortos por torturas e franco-atiradores já ultrapassa dos 41 desde 25 de Março deste ano. Ainda a contagem dos feridos internados nos hospitais do país não foi divulgada ou a sua totalidade ainda não é sabida, mas as imagens em foto e em vídeo circulam pela internet com demonstrações assustadoras de crueldade e insanidade.



Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 04 de Junho de 2011 - 09h34min.

No dia 31 de Maio, a UNICEF enviou uma mensagem forte para o governo da Síria exigindo que sejam realizadas as investigações sobre o assassinato de crianças no país, que ocorrem durante as manifestações pacíficas e no âmbito das cidades sitiadas.

A organização alertou que todas as partes envolvidas nos conflitos no Oriente Médio devem poupar civis, mulheres e crianças, segundo informou o site da Central de Notícias das Nações Unidas.

Impedidas de assistir às manifestações que acontecem em grande parte da Síria, as organizações de Direitos Humanos e Conselhos Internacionais não conseguem investigar as denúncias. Ativistas sírios têm sido os olhos do mundo, enviando video e fotos captados por celulares espalhados em todo o país e enviadas para canais de internet como o Youtube, Facebook, Twitters e blogs.

Em virtude disto, a UNICEF declara que não tem condições de confirmar a autenticidade das imagens mas revela profunda preocupação por causa do teor de violência encontrado nos arquivos divulgados pelos ativistas sírios por toda a web.

Por este motivo, a agência exortou que o Governo da Síria apure as denúncias e se envolva nas buscas dos responsáveis por tais atrocidades e que sejam devidamente punidos caso seja comprova a violência contra as crianças sírias.
"Nós exortamos o Governo a investigar exaustivamente estes relatórios e assegurar que os perpetradores de tais atos horríveis sejam identificados e levados à justiça."

 Num comunicado de imprensa, a UNICEF declarou-se "alarmada sobre relatos de violência extrema contra as crianças na Síria".


Al-Khatib
Lamentando não ter sido capaz de verificar as denuncias por conta própria, a agência alerta para os relatos de uso de munição real contra manifestantes que teria causado a morte de mais de 30 crianças sírias.


Reagindo claramente conforme as tristes notícias amplamente divulgadas pelo mundo a agência reforçou:
 "como parte da Convenção sobre os Direitos da Criança, a Síria tem a obrigação de garantir o direito das crianças à vida, à liberdade de expressão, à liberdade de reunião pacífica e à proteção contra violência, exploração e abuso. Esses direitos devem ser respeitadas em todos os tempos ".

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: