terça-feira, junho 14, 2011

Marrocos: Reforma constitucional é o sonho de liberdade.

Enquanto que em muitos países as manifestações prezam pelo fim do regime atual, no Marrocos, o luta é muito mais simples:  Tudo o que o povo marroquino deseja é que o regime de monarquia seja mantido mas aos padrões britânicos.


Fonte da imagem: France24
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 14 de Junho de 2011 - 11h55min.

Será que é pedir muito? Será que desejar viver numa monarquia que respeita os direitos humanos, civis e universais é pedir muito neste novo tempo?

Porque é tão difícil para um líder político entender estas coisas? Porque toda vez que alguém pensa ou fala em direitos humanos internacionais, logo recebe uma saraivada de balas contra sua cabeça?

Manifestações pacíficas e aspirações de um futuro de liberdades, igualdades e paz para as pessoas que realmente sustentam e são responsáveis pela manutenção de todo e qualquer regime de governo, é pedir muito?

Fonte da imagem: France24
A primavera árabe ou a revolução africana é muito prematura? Será que a velha escola política não preparou seus alunos para ouvir a voz de um continente inteiro, que clama por liberdade de expressão e direitos?

Daqui a alguns anos, todos nós olharemos para a estas revoluções e poderemos discernir se a revolução armada ou pacífica foi a melhor das escolhas. A verdade é que no momento elas acontecem e o povo marroquino decidiu que não quer a guerra!

Conversando com um amigo jornalista marroquino percebi o quanto ele ama seu país e seu rei. Difícil de se imaginar que ele desejaria ofender à realeza. "Ettarbaoui" é uma das pessoas que sonham com a paz e a liberdade alcançadas atravéz do diálogo entre as autoridades constituídas e o seu povo.

Fonte da imagem: moroccoboard
Um nova constituição

Segundo o site de notícias do Marrocos "moroccoboard", um rascunho para a nova constituição já está pronto para ser apresentado. Esta modificação prevê a limitação dos atributos do Rei como governante, retirando a "santidade" de sobre seus ombros e reforçando a liderança política do primeiro-ministro, além de definir a "competência do rei em assuntos  religiosos e militares", informou.

Por outro lado o primeiro-ministro perderia este título e se tornaria o "chefe do governo." Ele se concentra na administração dos ministérios. Nomear e demitir ministros, governadores e todo o corpo de administração do governo, bem como embaixadores, além da responsabilidade de apresentar emendas na constituição ou uma nova proposta para a constituição. Nesta posição, o "chefe de governo" tem o direito de propor a dissolução do governo ao Rei.

De acordo com o site, a primeira parte da proposta mantém o Rei como líder religioso, mantendo o status de "príncipe dos fiéis". Além desta atribuição, o Rei se mantém como "comandante supremo das forças armadas reais".

O projeto prevê a criação de um "Conselho de Segurança Nacional" que será presidido por sua majestade e que coordenará os outros órgãos da área de segurança.

Fonte da imagem: en.wikipedia
Oslo Freedom Forum

Do dia 21 ao 23 de junho, o Ministério norueguês dos Negócios Estrangeiros e do Centro para o Diálogo Humanitário recepcionarão a nona edição do fórum "Oslo Freedom 2011".

Voltado para mediadores de conflitos de terceiros e peças importantes para o processo de paz internacional, que estarão compartilhando suas experiências e levantando novas discussões sobre os desafios da atualidade e em destaque, é claro, a primavera árabe.

O fórum visa encontrar no debate, a solução pacífica para os conflitos armados em todo o mundo.

O evento, cujos preparativos já estão em velocidade máxima, tem disponibilizado diversas edições de seus encontros pelo mundo através do seu canal do youtube "".

No video a seguir, jornalista marroquino Ahmed Benchemsi mostra como a relação do povo do Marrocos com o Rei é notável. Ele destaca:
"Os manifestantes conseguiram convencer o rei a criar uma comissão que vai elaborar uma nova Constituição que será submetida para a edição democrática, antes de serem votadas pelo público. Benchemsi espera que este "sutil tremor da ditadura subtil" vá continuar e que seu país pode trazer a reforma sem conflitos desnecessários e acidentes."".

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: