domingo, maio 22, 2011

Síria: Modelo de governo para o mundo apreensivo, mas e os Direitos Universais?

A perda da indicação para o Conselho de Direitos Humanos no último dia 20, fez a Síria ficar ainda mais irritada com as manifestações. Sob pressão da mídia internacional, dos Estados Unidos e dos próprios aliados, a Síria vai se afundando enquanto busca se valer de um tipo de "marketing de sucesso" de fachada, que não consegue manter credível nem por 24 horas.


Fonte: occupiedlondon.org/cairo
Por Saulo Valley - Rio de Janeiro, 22 de Maio de 2011 - 07h55min.

A crise na Síria tem trazido seus aliados para a mídia. Iran, Líbano, Turquia, Iraque, Líbia e sem falar na Rússia e na China que ficam observando tudo de perto, mas no fundo estão apavorados com toda esta história de revolução popular árabe pelos direitos humanos.

Independente de qual seja a frente política que lidera estes movimentos, a luta pela liberdade e pelas atraentes oportunidades oferecidas pela prática dos Direitos Humanos Universais, tornam estas revoluções um caminho sem volta para qualquer que seja o regime em qualquer país árabe ou não.

Ninguém podia imagina que a Síria seria o "coração" do mundo oriental. Este sustentáculo aparentemente poderoso e inabalavelmente estável agora revela uma antiga e profunda cárie por trás de suas frágeis capas de porcelana...

Fonte: pcb.org
O povo descobriu que não precisa mais de um ícone POP para lutar em sua defesa. Não precisa mais de um "Mártir". Todos são mártires e todos lutarão pra fazer com que seus direitos e os direitos dos seus filhos e descendentes sejam garantidos!

Por exemplo: Ao invés de aceitarem leis que condenem à pena de morte ou ao apedrejamento, eles vão desejar enforcar o mandante destas ordens, que não se enquadram nas leis internacionais. E ninguém no planeta quer mais se submeter a regimes que não sejam submetidos às leis universais.

Esta citação é só um pequeno exemplo do que ocorre na mente do povo árabe! Eles não querem mais viver alienados de seus direitos.

Enquanto o governo da Síria busca o status de um país que respeita, cumpre e fiscaliza os direitos universais, mantém o povo trancado em bairros e cidades sitiadas, em prisões secretas no meio do deserto e em vilarejos distantes onde o povo é castigado, torturado, mutilado e morto.

Uma vez que seus corpos são devolvidos para seus familiares, estes não conseguem obter nem o direito de um funeral, sem que violentas rajadas de metralhadoras anti-aéreas dizimem ao menos os que carregam os corpos dos mártires, ou os que clamam em alta voz por justiça e similaridade de direitos com o resto do mundo.

Não existe terrorismo. Não existem inimigos "número um" da humanidade a não ser seus próprios dirigentes políticos. Se esta categoria não sofrer uma revolução pesada, dentro de pouco tempo o mundo não será o bastante para eles.

Fonte: samizdata
A humanidade que hoje não passa de uma plataforma de enriquecimento deixará de viver uma vida digna para que viver no submundo. Encolhidos no meio do esgoto que vaza das privadas dos prédios governamentais, o povo não terá mais direitos a não ser o de viver como míseros e fétidos ratos!

Mantidos em distâncias seguras durante muitos milênios de isolamento cultural, financeiro e tecnológico, o povo foi enganado e "sedado" por histórias falsas que aprendia nas escolas sobre heroísmo e de patriotismo.

Uma lavagem cerebral que misturou-se aos contos místicos europeus de branca de neve, a gata borralheira e entre outras coisas, os filmes que permeavam as TVs e os cinemas.

Hoje esta realidade está mudando...

 Falência múltipla destes órgãos administrativos de enriquecimento próprio e familiar! De agora em diante, o mundo não será mais o mesmo e questionará!

Isto mesmo, não importa qual seja a fonte, a origem da lei, da informação, ou do decreto! Tudo será questionado e se não for justo para as pessoas que vivem no plano horizontal do mundo, não será recebido, engolido, absorvido ou abraçado por mais ninguém!

Agora o povo quer negociar. Quer participar na tomada das decisões. Quer administrar e contar o seu próprio dinheiro e pagar aos funcionários públicos de acordo com o mérito de cada um!

Fonte: aqurette
Não. O povo não merece ajuda dos governos. O povo é o dono do mundo e o governos trabalham para ele! Ou será que alguém se esqueceu disto?

Então serão destituídos os Tiricas e os Assads, os Pallocis, os Kadafis, os Mubaraks, os Obamas e os Bushs. 

RECADO AOS PRESIDENTES E DIRIGENTES DE PAÍSES:

Se não quer ser destituído, corra para cuidar dos direitos do seu povo!

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: