quinta-feira, maio 05, 2011

O Mundo Árabe, as Revoluções, o Islamismo e o povo - Saulo Valley

As grandes agências de notícias estão começando a se  voltar para a Síria. Agora, a Revolução da Síria conta com a divulgação da Reuters Árabe, Aljazeera e Alarabyia. Sem contar com este humilde, mas influente interlocutor que vos escreve.


A prova de que as coisas que divulgamos são de total responsabilidade é que tudo o que foi postado aqui há semanas, está sendo falado hoje na AlArabyia e Reuters. 


Também a CNN tem dado mais atenção para a situação crônica da população síria. A verdade é que o movimento ainda é pequeno. Para mover a opinião mundial de forma mais definitiva, precisamos que 80% das redes de notícias repitam o que houve no incidente trágico do Japão.


Esfregar as provas na cara do mundo. Descobri que se os Sírios não filmassem as vítimas mortas de CLOSE, o mundo não acreditaria.




Se tenho conquistado alguma credibilidade por estas linhas, deixem me esclarecer de forma mais definitiva:

Por dificuldades de idioma era muito difícil que um Árabe conseguisse explicar o que realmente acontecia, e nenhum de nós havia pensado em se aprofundar no mundo árabe e descobrir verdade do modo que tenho me aprofundado atualmente:

Não existe terrorismo no mundo Árabe, que não seja por força política. O Islamismo não impulsiona o terrorismo. Qualquer pessoa habituada com a violência precisa de um regime vigoroso, e tudo o que eles buscam precisa ser radical.

Uma coisa que aborrece a população Árabe é a grande quantidade de seitas radicais, que são reflexo do brutal desrespeito dos califados, sutalanatos e políticos no poder, por força da hereditariedade. O povo que sente-se oprimido e acaba se envolvendo em situação onde matam ou morrem, porque não aguentam mais"

Sempre cito esta regra aqui: O General Sun Tzu, no seu livro "A Arte da Guerra" sempre alertava que "nunca se deve colocar os mais fracos em situação em que estejam completamente encurralados, caso contrário se voltarão contra você como sendo a última coisa que farão na vida!"
Voltando aos radicais:

Para que se sintam "garantidos" quanto aos crimes que cometeram, cometem ou cometerão, mesmo no tráfico de drogas no Brasil, ou em qualquer lugar do mundo, são procuradas as religiões mais tradicionais, radicais e severas.

Religiões com regras severas são as preferidas de pessoas violentas (me desculpem a sinceridade, mas é a pura verdade). Elas só acreditam em leis e regras pesadas. Assim sentir-se-ão garantidas quanto ao perdão. Acreditam que quanto maior for o seu pecado, mais dura deverá ser a sua penitência, mas que o perdão virá.

É por isto que nos presídios do Brasil (se eu estiver falando alguma asneira, por favor, podem me criticar) os ex-criminosos mais violentos entregam-se a religiões mais exigentes. Algo que os mude da "água para o vinho". Uma virada radical o suficiente para serem mantidos ou obrigados a ficarem bem distantes dos caminhos do passado.

Mas voltando ao terrorismo praticado pelos partidos políticos radicais islâmicos que acreditam que matando inocentes (literalmente) poderão convencer ao partido oponente, ou o que está no poder, à força de sua oposição!

Por isto é que na África, partidos de oposição armada, invadem vilarejos simpatizantes com os partidos adversários, e são violentados, quando não mutilados e mortos.

Estou dizendo isto pra que o Brasil entenda que não são os 100% do povo Árabe que são terroristas. Esta maioria é que é a vitimizada pelo terrorismo.

A questão é tão política que quando alguém desobedece ou afronta um governo militar, é declarado terrorista pelo poder em exercício.

Por isto é que Osama Bin Laden era temido no mundo Árabe.  Prestem atenção mais uma vez no texto que descreve seu perfil no twitter:


"Trabalho para expulsar os infiéis das terras dos fiéis, unir os muçulmanos e criar um NOVO CALIFADO ISLÂMICO". Isto significa: Derrubar o atual regime de governo de TODO o mundo Árabe e assumir o controle dele!

Em outras palavras: A unificação do mundo Árabe sob um único governo em regime de califado, no caso Bin Laden Seria o "dono" do mundo Árabe.

Você pôde encontrar alguma relação com a fé Islâmica, exceto pelo fato de que cada um tem o direito de escolher a religião que mais lhe agrada?

Assim como no Brasil há partidos políticos com "bases" cristãs. Mas alguns destes partidos com bases, por exemplo no cristianismo tradicional, também aceitam candidatos homossexuais entre outros.

Estou adentrando por esta linha de esclarecimento, já que muita gente acha que ajudando ou recebendo um árabe, estará se expondo ao perigo. O problema não está no povo árabe nem no Islamismo. O perigo é e sempre será o agressor seja ele religioso ou não, como foi o caso do Wellington que matou os estudantes em Realengo.

Estes reflexos são raízes do fanatismo que pode ser encontrado em qualquer área da vida. O Fanatismo só serve para alimentar os interesses financeiros de pequenos e poderosos grupos. As verdadeiras vítimas deste sistema são e serão sempre as pessoas inocentes e os próprios fanáticos. Pensem nisto.

Artigo em Destaque

EDITORIAL - O Brasil é perfeito para quem não teme o trabalho honesto

Temos que combater os esforços da mídia paga, que visa fazer as pessoas amarem mais o mal que o bem. Se você concorda leia, comente e compa...

Leia também: